Mutações do coronavírus

Mestre em Pesquisa Clínica em Doenças Infecciosas (FIOCRUZ, 2011)
Graduada em Biologia (UGF-RJ, 1993)

Os coronavírus são uma família de vírus que possui um genoma de RNA de fita simples. Esta família se distribui entre mamíferos, aves e causa doenças do trato respiratório ou gastrointestinal. Uma das características marcantes desta família é o tamanho do genoma.

O SARS-CoV-2 (ou coronavírus) é o agente etiológico da Covid-19, ou doença do novo coronavírus. Ele possui também um envelope lipídico. A Covid-19 é uma doença de fácil transmissão, tendo os primeiros casos surgidos na China no final de 2019. O vírus espalhou-se rapidamente por todo o mundo, causando uma pandemia, que deixou todo o planeta em alerta. Países ao redor do mundo, inclusive o Brasil, decretaram medidas sanitárias. Dentre estas medidas estão a restrição de circulação (lockdown), e o uso obrigatório de máscaras em local público e limpeza de mãos e superfícies com álcool (70%), visando a diminuição da transmissão. A doença possui uma variedade grande de sintomas, sendo os mais comuns a febre, tosse seca, dor no corpo e fraqueza.

Mutações

Mutações são mudanças que ocorrem na sequência de nucleotídeos (genoma) do material genético de um organismo, durante a replicação dos vírus ou durante a divisão celular. O genoma é toda a informação hereditária de um organismo que está codificada em seu DNA ou RNA. Quando o vírus entra em uma célula, ele se replica (se multiplica) para poder invadir outras células e continuar com a infecção. Na replicação ocorrem erros na sequência dos nucleotídeos. Esses erros são as mutações. Algumas mutações fazem o vírus perder a sua habilidade de infectar outras células. Outras podem permitir que o vírus fique mais virulento. É o que a biologia chama de seleção natural. Os vírus de RNA sofrem mais mutações que os vírus de DNA, pois, os erros são mais frequentes.

Ilustração:. Rost9 / Shutterstock.com

Mutações do coronavírus

Em comparação a outros vírus de RNA, o coronavírus sofre mutações mais lentamente que os outros vírus. É considerado pelos cientistas como um vírus geneticamente estável. A dúvida é saber se as mutações o tornam mais virulento ou não.

Cientistas de vários países estão sequenciando o genoma do vírus e as sequências estão sendo disponibilizadas em um banco de dados chamado GISAID. Sequenciamento é o processo de determinação da ordem sequencial dos nucleotídeos de uma molécula de DNA ou RNA.

Vírus que sofreram mutações que os deixaram mais virulentos acabam por serem eliminados, pois, matam seus hospedeiros antes de conseguirem infectar novos indivíduos. Entretanto, não há indícios de que o coronavírus sofreu mutações que o deixem mais virulento para humanos. O que se sabe é que ele está em constante mutação.

Pesquisas tem sido feitas para a produção de uma vacina. Teoricamente, as mutações podem ser um fator que dificulte o desenvolvimento de uma vacina para a Covid-19. Contudo, não há indícios de que as mutações sofridas pelo coronavírus estejam modificando a capacidade de provocar a reação dos anticorpos (antigenicidade). As pesquisas para o desenvolvimento da vacina estão sendo feitas se utilizando cepas virais dos primeiros casos da doença, na China, e os anticorpos produzidos na resposta imune tem neutralizado o coronavírus, mesmo na presença de mutações.

Apesar do SARS-CoV-2 sofrer mutações, elas não interferem na resposta imune do hospedeiro e não atrapalham o desenvolvimento das vacinas que estão em andamento ao redor do mundo.

Bibliografia:

Mutação. Disponível em: https://pt.wikipedia.org/wiki/mutação Acessado em 12/11/2020.

O que as mutações revelam sobre o coronavírus. E o que falta saber. Disponível em: https://www.nexojornal.com.br/expresso/2020/10/30/O-que-as-muta%C3%A7%C3%B5es-revelam-sobre-o-coronav%C3%ADrus.-E-o-que-falta-saber Acessado em 12/11/2020

O que significam as mutações do coronavírus. Disponível em: https://www.uol.com.br/vivabem/noticias/afp/2020/09/18/o-que-significam-as-mutacoes-do-coronavirus.htm Acessado em 12/11/2020.

Sequenciamento. Disponível em: https://pt.wikipedia.org/wiki/Sequenciamento Acessado em 12/11/2020.

Arquivado em: Genética