Clima da Oceania

Mestrado em Geografia (UFSC, 2015)
Graduação em Geografia (UFSC, 2012)

O clima leva em consideração dois principais fatores: as temperaturas médias e a quantidade média de precipitação. A temperatura média faz referencia as médias de cada mês e sua variação sazonal. O índice pluviométrico mede a quantidade de precipitação mensal e suas variações sazonais. Os dois fatores são influenciados por diferentes características do local, como a insolação e umidade. O nível de insolação, ou nível de energia solar, é dado principalmente pela latitude, controlando em grande medida a temperatura do local. A altitude do relevo, a proximidade ou não de grandes corpos de água (maritimidade/continentalidade), a pressão atmosférica e as correntes marítimas, também influenciam na umidade que uma região recebe e suas temperaturas.

A Oceania pode ser divida em duas partes. A primeira é a continental cujo único país é a Austrália. A segunda é a porção insular, que compreende países como Papua-Nova Guiné, Nova Zelândia, Timor Leste, além de inúmeros arquipélagos de pequenas ilhas como Fiji, Tonga, Tuvalu, entre outras.

Os climas na região insular, exceto na Nova Zelândia, são considerados climas quentes e tropicais. O clima que abrange a maioria das ilhas e uma pequena parte ao norte da Austrália é o de floresta tropical pluvial, com temperaturas altas e pouca variação. O clima também apresenta umidade alta, resultante das altas temperaturas e da proximidade com o oceano, o que faz com que o índice pluviométrico seja alto durante o ano todo. Uma pequena porção sofre a ação do clima tropical de monções, com uma estação seca (de um a seis meses) e uma estação úmida (de seis a 11 meses), com temperaturas altas e com pouca variação. No centro de Papua-Nova Guiné, encontramos o clima de montanha, menos severo que em regiões subtropicais ou regiões com maiores altitudes. Na região, esse clima é seco e com temperaturas mais brandas.

Outro clima tropical é o de savana, encontrado no norte da Austrália. Esse clima apresenta duas estações, com verões úmidos e invernos secos, e temperaturas quentes com pouca variação.

Os climas mesotérmicos (subtropicais) são encontrados no litoral da Austrália, exceto a oeste, e Nova Zelândia. Encontramos no nordeste australiano uma pequena porção de terras sob influência do clima subtropical úmido de invernos secos, com quatro estações bem definidas, verão quente com alto índice de precipitação, e inverno brando e seco. Essa variação provém do efeito das monções, que cria no inverno uma área de alta pressão, tornando o tempo seco. O litoral centro leste da Austrália apresenta precipitações bem distribuídas durante o ano, com quatro estações bem definidas, clima típico subtropical úmido de verões quentes. O clima marítimo da costa oeste é encontrado no sudeste da Austrália e em toda a Nova Zelândia, com quatro estações bem definidas, verão e invernos brandos, e precipitação bem distribuída durante o ano. O litoral sul da Austrália é dominado pelo clima mediterrâneo de verões secos, onde, ao contrário da média global, a precipitação se concentra no inverno. Isso é decorrente da corrente marítima fria do leste australiano e da movimentação das zonas de alta pressão no verão, que impedem que a umidade se acumule no sul australiano.

Os climas desérticos são encontrados no centro da Austrália, onde uma zona de alta pressão subtropical impede que ventos carregados de umidade adentrem o continente. O deserto australiano é um típico deserto subtropical, com precipitação concentrada no verão, inferior a 350mm por ano, e estações que variam entre um verão muito quente e um inverno brando.

Fontes:

CHRISTOPHERSON, Robert W. Geossistemas: Uma introdução a. 7. ed. Porto Alegre: Bookman, 2012. Francisco Mendonça.

Arquivado em: Clima, Oceania