Deserto de névoa

Mestrado em Geografia (UFSC, 2015)
Graduação em Geografia (UFSC, 2012)

Um deserto de névoa é um tipo de deserto em que o nevoeiro fornece a maior parte da umidade ali presente. O nevoeiro se forma por conta de fatores relacionados à posição geográfica do deserto e às correntes oceânicas são as principais fontes de umidade para as diferentes formas de vida existentes nesses locais. O nevoeiro é basicamente uma nuvem que se forma perto da superfície da terra ou da água. A visibilidade horizontal no nevoeiro é reduzida para não mais que um quilômetro e pode ser muito menor que isso, chegando a apenas alguns metros. Um nevoeiro é formado por pequenas gotas de água cujo tamanho varia entre 10 e 50 mícrons, concentrando no ar uma alta umidade relativa, geralmente acima de 95%.

Quando o nevoeiro consiste em cristais de gelo, é chamado de nevoeiro de gelo. Os nevoeiros de radiação são produzidos quando o ar esfria durante a noite, e os nevoeiros de advecção se desenvolvem quando o ar quente e úmido é deslocado por uma barreira, como uma montanha e sobe, causando um resfriamento muito intenso e formando um nevoeiro.

Este tipo de neblina é comum em áreas desérticas. A névoa do mar se forma quando o ar quente e úmido se move acima da água fria. Tais nevoeiros se formam ao longo da costa do Oceano Pacífico, nos desertos litorâneos do Chile e do Peru (como é o caso do Atacama), à medida que os ventos predominantes transportam ar úmido do interior do Pacífico sobre as águas da fria corrente de Humboldt. Por razões semelhantes, esses tipos de neblina também se formam ao longo das costas da Baja California (México) e Namíbia. Nesses desertos, que são alguns dos mais áridos do planeta, a água da névoa é fundamental para a sobrevivência dos organismos que ali vivem.

Abaixo, seguem algumas informações sobre desertos onde ocorrem o fenômeno das névoas.

Deserto da Baja California

O deserto da Baja California é uma extensão meridional do Deserto de Sonora, no sudoeste dos Estados Unidos, alongando-se pela península do noroeste mexicano. Embora a Baja California exiba muitas semelhanças com o deserto de Sonora, também existem muitas características ecológicas únicas que resultam de sua geografia altamente variável e de seu isolamento em uma península. As condições climáticas na Baja California são variadas e geralmente áridas. As temperaturas do verão são muito quentes e a precipitação é escassa e episódica.

Deserto de névoa costeira da Península Arábica

A região ecológica desse deserto fica na costa sul da Península Arábica. A região é coberta por neblina na maioria das vezes, reduzindo significativamente a visibilidade. O nevoeiro fornece umidade suficiente para suportar plantas como arbustos, pastagens e bosques. A vegetação varia com a densa floresta de Acacia Senegal e espinhosas árvores Commiphora. Mamíferos como gazela, antílope, órix e íbex-da-núbia também são encontrados nesta região.

Deserto da Namíbia

O Deserto da Namíbia está localizado na costa atlântica da Namíbia, no sudoeste africano, chegando a sua parte mais setentrional até o sul de Angola, e abrangendo uma área de aproximadamente 31.000 km². O tipo de solo predominante desse deserto é cascalhoso e arenoso e, na região, as médias de precipitação estão entre 15 e 100 milímetros, com temperaturas variando entre máximas de 25°C e mínimas de 10°C.

Deserto do Atacama

Nevoeiro no Atacama. Foto: abriendomundo / Shutterstock.com

Faixa estreita de deserto que se estende por quase 1.000 quilômetros ao longo da costa oeste da América do Sul, desde a fronteira norte do Chile até Copiopó (27° de latitude sul), atingindo uma largura máxima de 180 quilômetros. Em vastas áreas deste deserto, chuvas nunca foram registradas. Consequentemente, predomina uma paisagem extremamente árida. Apesar dessa aridez, existem plantas no deserto, como cactos (Eulychnea), e bacias de plantas perenes e de algaroba, onde ocorre alguma captação de água, mas em geral a área é quase desprovida de vida.

Fonte:

LUHR, James F. Earth. Londres: Dorling Kindersley Limited, 2009.

MARES, Michael A. Encyclopedia of Deserts. Norman: University of Oklahoma Press, 1999.

Walter H., Breckle SW. (1986) The Namib Fog Desert in Southern Africa. In: Ecological Systems of the Geobiosphere. Springer, Berlin, Heidelberg. Disponível em: <https://link.springer.com/chapter/10.1007/978-3-662-06812-0_27>. Acesso em: 08/10/2019.

Arquivado em: Geografia