Oceano Índico

Mestre em Educação, Comunicação e Tecnologia (UDESC, 2016)
Graduada em Geografia (UDESC, 2014)

O Oceano Índico é uma das três grandes depressões oceânicas (juntamente com Pacífico e Atlântico), assim denominado por causa de sua posição em relação à Índia, cujo litoral banha. É o terceiro maior oceano do mundo, localizado entre a África, a Ásia a Oceania, e a Antártida, sendo que a sua maior área se apresenta no Hemisfério Sul. A sua extensão no sentido longitudinal é de cerca de seis mil e quinhentos quilômetros e, no sentido latitudinal, por volta de oito mil e oitocentos quilômetros. A superfície total desse oceano é de aproximadamente 75 milhões de quilômetros quadrados, sendo que o Mar da Arábia, o Golfo de Bengala e o Mar Vermelho compõem juntos 20,8% de suas águas. Sua profundidade média é de 4.233 metros, tendo a Fossa de Java, com 7.450 metros, seu ponto mais profundo.

Mapa do Oceano Índico. Ilustração: Designua / Shutterstock.com

Os contornos do Oceano Índico são muito regulares na parte mais ao sul, entre África e Oceania. Já ao norte do Equador, chamam a atenção as formas projetadas no Mar da Índia, com golfos compridos e estreitos, como o Mar Vermelho e o Golfo Pérsico, ou abertos, como o Mar Arábico (Mar de Omã) e o Golfo de Bengala.

Nesse oceano se desenvolve uma intensa vida marinha, devido à temperatura mais aquecida de suas águas. Acima dos 20ºC ao longo de todo o ano, essas águas possibilitam a formação de recifes de coral. Portanto, existem no Índico diversas ilhas de origem coralínea.

Os climas predominantes no Oceano Índico são o tropical e o temperado. Devido a essas características suas águas são de extrema importância para a pesca e a navegação, que serve tanto para turismo, como para o transporte de pessoas e as mais variadas mercadorias – inclusive o petróleo. Porém, na sua porção austral as águas são bem mais frias, por conta da proximidade com a Antártida.

Nas latitudes médias do Índico ocorre o clima de monções. Durante o inverno, há áreas de baixa pressão sobre as suas águas e alta pressão sobre a área continental próxima (sudeste asiático). Por isso, nessa estação, um vento seco sopra dos continentes para o oceano. Durante o verão, o inverso ocorre, com o movimento da massa de ar indo das águas do Oceano Índico para o continente, carregando grande quantidade de vapor d’água e provocando forte precipitação.

As ilhas do Oceano Índico foram exploradas por comerciantes do Oriente Médio no período da chamada Idade Média europeia. Pelos mares do Índico e em suas ilhas, diversos povos africanos e asiáticos fizeram contatos e trocas culturais, proporcionando grande desenvolvimento para as sociedades dessas regiões. Tudo isso muito antes da expansão marítima europeia.

No caso dos europeus, os portugueses foram os primeiros a navegar nesse oceano. Bartolomeu Dias atravessou com a sua tripulação o Cabo das Tormentas – que viria a se chamar Cabo da Boa Esperança – em 1488, para provar que era possível chegar às “Índias” pelo mar. Através de uma convenção, esse cabo passou a demarcar a divisão entre os oceanos Atlântico e Índico.

Referencial Bibliográfico:

ATLAS Geográfico Mundial: para conhecer melhor o mundo em que vivemos. [S.l.]: Sol9o, 2005.

GROTZINGER, John P.; JORDAN, Thomas H. Para entender a terra. 6. ed. Porto Alegre: Bookman, 2013.

LUCCI, Elian Alabi; BRANCO, Anselmo Lazaro; MENDONÇA, Cláudio. Geografia Geral e do Brasil – ensino médio. São Paulo: Saraiva, 2005.

VICENTE, Orlando. Enciclopédia Base. São Paulo: Iracema, 2009.

Arquivado em: Geografia, Hidrografia