Primeiros povos da Ásia

Mestre em História Comparada (UFRJ, 2020)
Bacharel em História (UFRJ, 2018)

Publicado em 04/12/2021
Ouça este artigo:

A formação das primeiras sociedades orientais e dos primeiros centros urbanos ocorreu na região conhecida como Crescente Fértil, inicialmente na Mesopotâmia, depois no Egito. Dentre os fatores que possibilitaram a organização dessas cidades pode-se citar a expansão da agricultura e a sedentarização dos seres humanos que lá viviam. Além disso, o desenvolvimento técnico e comercial e a centralização política proporcionaram a proteção necessária, a partir da reunião de diferentes tribos, para que as cidades não ruíssem.

A Mesopotâmia (termo grego que significa “terra entre rios”), região de planícies formadas pelos rios Tigre e Eufrates, abrigava sociedades com organizações mais complexas. Desde o período Paleolítico, essa região, onde hoje se localiza parte do território do Iraque, era habitada por diversos povos: sumérios, acádios, amoritas, assírios e caldeus. Por ser área de passagem tanto para o continente europeu quanto para o norte da África, havia intenso fluxo de imigrantes naquele território.

A agricultura era a principal atividade econômica da Mesopotâmia e demandava abastecimento de água para o cultivo. Nesse sentido, o controle das cheias dos rios Tigre e Eufrates foi fundamental para a manutenção e desenvolvimento local. O trabalho era realizado por pessoas escravizadas e livres sem posses; estas, juntamente com comerciantes e proprietários de terras, ocupavam o extrato inferior de uma sociedade cujo topo pertencia aos chefes religiosos e sacerdotes. Por ser uma região muito fértil, a Mesopotâmia atraía invasores nômades constantemente; portanto, a existência de um líder era fundamental na administração dos conflitos.

A liderança política da sociedade mesopotâmica era exercida por um chefe religioso, responsável pelo templo. Aspectos religiosos detinham papel significativo de coesão social, e isso se ilustra pelo fato de grande parte dos centros urbanos terem surgido em torno dos templos religiosos. Por ser considerado um representante dos deuses, o líder reunia em torno de si um grupo de sacerdotes, e juntos administravam a cidade.

Em outra região, localizada na planície compreendida entre os rios Indo e Amarelo, desenvolveram-se sociedades de organizações complexas. Com bases fortemente hierarquizadas, na região da China as cidades destacaram-se politicamente e na região da índia houve a formação de importantes centros urbanos. A agricultura e a domesticação de animais foram atividades usuais nestas regiões desde 3000 a.C.; a partir daí houve o surgimento de aldeias, e a solidificação das características rurais destes povos.

Na região do golfo pérsico, onde atualmente se situa o Irã, houve a formação do Império Persa. Por ser constituído de diversos povos, o cenário cultural deste Império proporcionou a mistura entre diversos povos. Nesse sentido, os persas foram influenciados pela cultura egípcia, mesopotâmica e grega, e influenciaram igualmente as culturas destes outros povos.

Próximo ao mar Mediterrâneo, as sociedades hebraicas e fenícias desenvolveram-se, mantendo entre si relações culturais complexas. Por conta da menor densidade demográfica e da posição geográfica desfavorável, estes povos praticavam a pequena agricultura, o pastoreio e o pequeno comércio para sobreviver.

Os fenícios não desenvolveram-se a ponto de organizar um Estado centralizado. A principal atividade realizada por este povo foi o comércio realizado nos portos, e esta determinava a ascensão e hegemonia política das cidades. A partir dessas atividades de comércio, houve o aprimoramento das habilidades de medir, contar e pesar e o desenvolvimento do alfabeto.

A organização política hebraica baseava-se em tribos lideradas por juízes ou patriarcas; além disso, entre os hebreus vigorava a autonomia das cidades, que possuíam pouca força política e muitos conflitos. Apesar da pouca força econômica e política dos hebreus, os aspectos religiosos destas sociedades influenciaram fortemente a cultura ocidental.

Leia também:

Referências:

FERNANDEZ-ARMESTO, F. Então você pensa que é humano?: uma breve história da humanidade. São Paulo: Companhia das Letras, 2007.

GANERI, Anita. Explorando a Índia. São Paulo. Ática, 1997.

MORAES, José Geraldo Vinci de. História Geral e Brasil: ensino médio: volume único. 3.ed. Atual. São Paulo, 2009.

TAO, Wang. Explorando a China. São Paulo: Ática, 1997.

Arquivado em: Pré-História