Discurso direto

Especialista em Planejamento, Implementação e Gestão da Educação a Distância (UFF)
Graduação em Letras (Fundação Comunitária de Ensino Superior de Itabira, FUNCESI)

Que tal pensarmos em uma história, hein? Bom, para contá-la, o narrador pode empregar diferentes recursos. Como reproduzir as falas dos personagens? Em outras palavras, como dizer o que o outro disse? É aí que entram em cena o discurso direto, o discurso indireto ou o discurso indireto livre! A seguir, estudaremos o discurso direto. Para tal, sugiro a leitura deste fragmento do romance “Mary Barton”, escrito por Elizabeth Gaskell:

O segundo homem a ser mencionado foi o primeiro a falar, quando uma súbita expressão de piedade obscureceu seu rosto alegre.

– Bem, John, como você anda?

E, numa voz baixa, acrescentou:

– Já teve alguma notícia de Esther?

Enquanto dizia isso, as esposas se cumprimentavam como velhas amigas, com a voz suave e lamuriosa da mãe dos gêmeos parecendo obter apenas mais soluços da parte da Sra. Barton.

– Venham, mulheres – disse John Barton –, vocês duas já caminhavam bastante. Minha Mary deve parir em três semanas; e quanto a você, senhora Wilson, sabe que mesmo quando está bem, não é de lá muito robusta.

Isso foi dito com tanta gentileza que foi impossível se ofender.

Observe com atenção as falas dos personagens no fragmento do romance. Agora, diga-me: como a narradora reproduziu essas falas?

(   ) A narradora contou com as suas próprias palavras as falas dos personagens.
(   ) A narradora apresentou as falas dos personagens com as próprias palavras deles.

Certamente, você assinalou a segunda opção. A narradora apresentou as falas dos personagens com as próprias palavras deles. Ou seja, ela empregou o discurso direto. Desse modo, ela consegue estabelecer uma proximidade entre os personagens e os leitores. Mas, como identificamos o discurso direto? Por meio de algumas marcas! Vamos a elas!

Marcas do discurso direto

Primeiramente, precisamos destacar os “verbos de fala” ou “verbos de dizer”. Trata-se dos verbos que introduzem as falas dos personagens. Observe alguns exemplos:

E, numa voz baixa, acrescentou:

– Venham, mulheres – disse John Barton –, vocês duas já caminhavam bastante.

Outras marcas que merecem destaque são os sinais de pontuação. Os dois-pontos e o travessão indicam as falas dos personagens. Enfim, as marcas do discurso direto permitem separar as palavras do narrador das palavras dos personagens. Depois de analisarmos o discurso direto no fragmento de romance, convido você a analisá-lo em outro gênero de texto. Vamos lá? Bom, agora a sua tarefa é identificar o discurso direto no fragmento desta reportagem:

Alter do Chão é opção de turismo baseado na economia familiar

Muita gente desconhece Alter do Chão, no Pará, como destino turístico que já foi considerado um dos mais bonitos do país. Mas para quem tem interesse em conhecer praias de rio de areia branca, água morna e em meio à floresta Amazônica, o vilarejo é o lugar ideal.

Banhado pelo rio Tapajós, o ecoturismo em Alter do Chão é mantido pela comunidade. Não existem redes hoteleiras ou grandes resorts no vilarejo, a maior parte das pousadas e hotéis são familiares. “A gente vive numa comunidade onde tudo gira em torno familiar. Então é o pai que tem uma barraca, que coloca os filhos. A geração de emprego direto é familiar.”, explica Ronete Costa, dona de uma pousada na região.

De acordo com a Secretaria Municipal de Turismo de Santarém, cidade a qual o vilarejo está ligado administrativamente, em 2018 o município recebeu mais de duzentos mil turistas. Cento e noventa mil deles passaram por Alter do Chão.

Ana Graziela Aguiar. Disponível em: <http://agenciabrasil.ebc.com.br>. (Fragmento).

Achou o discurso direto? Veja-o:

“A gente vive numa comunidade onde tudo gira em torno familiar. Então é o pai que tem uma barraca, que coloca os filhos. A geração de emprego direto é familiar.”

Que recurso a jornalista empregou para indicar o discurso direto? As aspas! Trata-se de um sinal muito utilizado em diferentes áreas. A área acadêmica é uma delas! Usamos aspas e também o itálico para destacar as citações dos discursos alheios. Voltando ao fragmento acima, notamos que a jornalista também usou um “verbo do dizer” para se referir à fala da pessoa entrevistada:

[...] explica Ronete Costa, dona de uma pousada na região.

O uso do discurso direto confere veracidade e autenticidade ao fato reportado. Porém, é importante frisar que muitas vezes o discurso direto para passa por uma reelaboração. Isso acontece, por exemplo, quando o autor do texto elimina algumas marcas da oralidade – como repetições de palavras ou o uso de “né” – presentes na fala de um entrevistado.

Para concluir:

O que é o discurso direto? É a apresentação/reprodução das falas dos personagens (reais ou fictícios) com as próprias palavras deles. Para marcar o discurso direto, o autor lança mão de diferentes recursos linguísticos.

Leia também:

Referências:

AGUIAR, Ana Graziela. Alter do Chão é opção de turismo baseado na economia familiar. Disponível em: <http://agenciabrasil.ebc.com.br/geral/noticia/2019-10/alter-do-chao-e-opcao-de-turismo-baseado-na-economia-familiar>. Acesso em: 07 de out. 2019.

CUNHA, Celso; CINTRA, Luís F. Lindley. Discurso direto, discurso indireto e discurso indireto livre. In: ___ Nova gramática do português contemporâneo. 5.ed. Rio de Janeiro: Lexikon, 2008. p. 649-656.

FIORIN, José Luiz; SAVIOLI, Francisco Platão. Modos de citação do discurso alheio. In: ___

Para entender o texto: leitura e produção. 15 ed. São Paulo: Ática, 1999, p.181-191.

GASKELL, Elizabeth. Mary Barton. Tradução de Julia Romeu. 1.ed. Rio de Janeiro: Record, 2017. p. 14. Título original: Mary Barton.

MAINGUENEAU, Dominique. Análise de textos de comunicação. 3.ed. São Paulo: Cortez. 2004.

Arquivado em: Português, Redação