Recursos linguísticos

Mestre em Linguística (USP, 2019)
Graduada em Letras (USP, 2016)

Sempre abrir.

O que são recursos linguísticos?

Os recursos linguísticos são formas usadas para expressar experiências comuns de forma original, motivada ou poética em um discurso.

Para atingir esse propósito, figuras de linguagem ou estilo são empregadas para valorizar um texto de modo com que esse comunique seu conteúdo com uma linguagem mais expressiva.

Os recursos linguísticos existentes podem ser agrupados em 3 grupos principais: elementos coesivos, elementos enfáticos e elementos retóricos.

Os 3 principais tipos de recursos linguísticos

1. Elementos enfáticos

Os elementos enfáticos são usados​​para destacar uma parte do discurso:

Os advérbios sozinhos não criam ênfase. Porém, a posição deles dá ao discurso um significado especial quando há mudança na ordem original da sentença:

Provavelmente a Mônica não chegou no horário.
A Mônica provavelmente não chegou no horário.

Na primeira frase, a ênfase não ocorre, enquanto no segundo exemplo há o destaque para o senso de incerteza da frase (provavelmente).

O recurso linguístico assíndeto consiste na supressão da conjunção copulativa “e” nas orações complexas. Em algumas frases, essa ausência promove um senso de sinonímia que destaca o valor da sentença.

Exemplo:

- Ela foi uma médica e uma vencedora.
- Ela foi uma médica, uma vencedora.

No último exemplo, o apagamento da conjunção enfatiza o status de vencedora do sujeito.

Esse processo é uma oposição ao anterior. Por isso, aqui há a repetição de uma conjunção de coordenação. Esse efeito é realizado para atrair a atenção do leitor e dar a sensação de persistência no texto.

  • Eu estava falando com ele e continuei falando e falando, porque, quem sabe, ele começa a entender.

2. Elementos de coesão

Os elementos de coesão são usados para estabelecer a organização do texto através de relações de ideias e, assim, promover um texto com unidade e não um aglomerado de pontos dispersos.

  • Conectores

Os conectores são palavras que estabelecem pontes entre as frases e os parágrafos do texto. Eles podem indicar, por exemplo, hierarquia, relações temporais, oposição.

Exemplos

  • a) Hierarquia: “Primeiro”, “segundo”, “por um lado”, “por outro”;
  • b) Oposição: “mas”, “em vez”, “no entanto”, “embora”, “agora”;
  • c) Conclusão: “em resumo”, “juntos”, “em soma”, “consequentemente”;
  • d) Tempo: “ao mesmo tempo”, “próximo”, “depois”, “antes”.

Referência

As referências são usadas ​​para criar coesão e podem ser de dois tipos: anafórico e catafórico.

3. Elementos retóricos

Os elementos retóricos são usados para promover variedade no texto. Dentre as figuras retóricas disponíveis na língua podemos destacar o símile, a antítese e a metáfora.

  • Símile

Esse é um recurso de comparação entre dois elementos que se assemelham em certos aspectos. A partir do símile, é criado um link linguístico. Geralmente, a palavra usada nesse processo é o “como”.

Exemplo

- “Ler ensina como uma escola”.

Nessa construção, o sentido de ensinar está sendo reforçado, com isso, é criado um efeito maior do do que se estiver escrito apenas “Ler ensina”.

Através da antítese podemos estabelecer uma relação entre duas ideias que se contrapõem.

Exemplo

- “Sua alma subiu ao céu
Seu corpo desceu ao mar”
(Ismália, de Alphonsus de Guimaraens)

Dentre os elementos retóricos que apresentamos aqui, a metáfora é o mais comum.

Através desse recurso, conseguimos comparar dois elementos diferentes, entre os quais existe uma relação de similaridade. Essa similaridade pode ser subjetiva, isto é, ela depende do ponto de vista do discurso construído.

A metáfora é tão comumente usada que, muitas vezes, a usamos nas conversas cotidianas e nem percebemos.

Exemplo:

- “Ela é um passarinho”.

Nessa frase a comparação do sujeito “ela” com “passarinho” pode levar a várias interpretações, porém, ao ouvi-la dificilmente se entenderá que “ela” é um animal com asas.