Ácido fluorídrico

Especialista (MBA) em Gestão da Qualidade Total (UFF, 2013)
Graduada em Química, Tecnóloga (Unigranrio, 2011)
Graduada em Ciências Biológicas (Unigranrio, 2006)

O ácido fluorídrico, também conhecido como ácido hidrofluorídrico, ou ainda fluoreto de hidrogênio, é um composto inorgânico formado por átomos de hidrogênio (H) e flúor (F), em solução aquosa. De fórmula molecular HF é um hidrácido que realiza ligações covalentes simples.

Sua descoberta deve-se a fluorita. Um minério constituído por átomos de cálcio e flúor (CaF2), com uma diversidade de cores verde, violeta, entre outros. É precursora de diversos processos químicos e metalúrgicos. A fluorita foi mencionada pela primeira vez no final do século 15 por Basilius Valentinus. Contudo, em 1530 foi amplamente descrita em um dos primeiros trabalhos do médico alemão Georg Bauer, em latim "Georgius Agricola".

Bauer elaborou estudos relacionados às doenças desenvolvidas pelos trabalhadores nas minas alemãs, tornando-se conhecido na história da medicina. Apesar de ser médico, desenvolveu alguns estudos referentes à área de metalurgia. Em seu trabalho "De re metallica", descreveu como se preparava metais a partir de minérios, utilizando uma mistura de fluxos que funcionava como solvente, facilitando a sua fundição. Essa mistura de fluxos era proveniente da fluorita, chamada de fluorspar pelos mineradores alemães.

Diante do novo elemento isolado da fluorita, o flúor passou a ser objeto de vários estudos. O primeiro passo foi realizado por Thénard e Gay-Lussac, na preparação do ácido fluorídrico concentrado, no qual descreveram em detalhes a experiência, onde a nova substância rapidamente dissolveu o vidro e causou fortes queimaduras.

A alta reatividade do flúor e seu comportamento incontrolável o impediu de ser utilizado em reações químicas por um longo período de tempo. Maiores quantidades de seus compostos passaram a ser obtidos de reações indiretas e complexas, abrangendo fluoretos.

Em 1930, com a demanda crescente do freon (gás refrigerante), estimulou a indústria de ácido fluorídrico. A sua produção proveniente da fluorita é realizada em altas temperaturas (250ºC). O mineral reage com uma solução concentrada de ácido sulfúrico, formando o fluoreto de hidrogênio, conforme a reação:

O ácido fluorídrico também é obtido através da extração de ácido fosfórico da apatita para a produção de fertilizantes, sendo um subproduto do processo. Atualmente, atua como catalisador em técnicas de alquilação em refinarias de petróleo, solvente, produção de flúor e fluoretos inorgânicos, agentes de limpeza, defensivos agrícolas e purificação de minérios como tântalo e nióbio.

Apresenta características físico-químicas como ponto de ebulição de 65 °C e ponto de fusão de -75 °C. Devido à alta eletronegatividade do flúor é uma substância polar, realizando entre as suas moléculas ligações de hidrogênio. É solúvel em água, ionizando-se de modo semelhante aos outros ácidos, conforme a reação:

Por exibir alta corrosividade é incompatível com metais, metais alcalinos, concreto, permanganatos, soluções de hidróxidos alcalinos e vidro, reagindo com diversos materiais como couro e borracha. Geralmente é armazenado em recipientes de plástico. Deve-se ter cautela na sua manipulação, evitando contato com a pele, inalação, e principalmente, ingestão. Por ser muito tóxico pode causar edema pulmonar, irritação, doenças cardiovasculares, penetrante em tecidos e ossos, podendo até acarretar cegueira.

Referências bibliográficas:

http://geology.com/minerals/fluorite.shtml

http://www.fluoride-history.de/fluorine.htm

https://sites.google.com/site/scientiaestpotentiaplus/acido-fluoridrico

http://www.usiquimica.com.br/adm_img/fispq-29.pdf

http://gotaquimica.com.br/noticia/sobre-acido-fluoridrico/