Oceanografia

Mestre em Ciências Biológicas (UFF, 2016)
Graduada em Biologia (UNIRIO, 2014)

A formação e estrutura geológica dos oceanos, suas propriedades físicas e químicas, assim como as correntes e processos sedimentares, são o foco de estudo da Oceanografia, ciência moderna que despontou no século 20, e busca compreender os processos que regem o ecossistema marinho e os organismos que o habitam.

Breve histórico

Embora a Oceanografia seja considerada um campo de estudo relativamente novo, esta ciência tem origem remota: os primeiros registros de seu surgimento datam de cerca de 30 mil anos atrás, quando os Polinésios, considerados os primeiros navegadores do mundo, realizaram migrações entre a costa oeste do Oceano Pacífico até as ilhas de Fiji, Nova Guiné, Samoa e Havaí. Utilizando apenas a posição das estrelas e as correntes marítimas, os Polinésios navegaram pelo oceano, desenvolvendo mapas oceanográficos com cordas, conchas e pedaços de madeira, que foram passados entre gerações por 25.000 anos. A partir do século 15, o interesse pela Oceanografia aumentou devido à procura de novas terras para colonização pelos europeus, e o estabelecimento de rotas comerciais entre a Europa, Ásia e África. Importantes instrumentos náuticos como a bússola, o astrolábio e o cronômetro, foram desenvolvidos durante este período, que teve como marco o descobrimento da América por Cristóvão Colombo, que alterou a concepção sobre o formato da Terra, até então considerada plana. Durante o século 19, uma série de expedições foram realizadas por americanos e europeus com o objetivo de documentar a formação rochosa e sedimentar do fundo oceânico, as correntes marítimas, mudanças de profundidade e a vida marinha. A Challenger expedition, primeira e mais famosa expedição, foi realizada a bordo do navio de guerra britânico HSM Challenger, e é considerada o marco inicial da Oceanografia moderna.

Áreas de estudo

Tradicionalmente, a oceanografia se subdivide em quatro áreas de estudo: Oceanografia Biológica, Física, Geológica e Química.

Oceanografia Biológica

Estuda a influência dos fatores abióticos (i.e. propriedades físicas e químicas da água; formação geológica) na comunidade de seres vivos marinhos (i.e. vegetais e animais). Este ramo da oceanografia investiga os padrões de distribuição e abundância dos organismos, assim como suas respostas comportamentais em relação ao meio ambiente, e a relação entre seus ciclos de vida e a produtividade oceânica. As adaptações dos organismos às mudanças ambientais, sejam estas naturais ou artificiais, também são abordadas por esta ciência.

Oceanografia Física

Aborda as propriedades da água do mar, como temperatura, densidade e pressão; o fluxo marítimo, i. e. a formação de ondas, correntes e marés; e a relação entre o oceano e a atmosfera, responsável por moldar o clima mundial. O aquecimento global é um dos principais temas de estudo deste ramo da Oceanografia, visto que este processo resulta do desequilíbrio no sistema atmosfera x oceano, provocado pela emissão de gases estufa como o CO2 e o metano.

Oceanografia Geológica

Estuda a formação e o desenvolvimento do fundo oceânico. Esta área investiga a origem das paisagens subaquáticas, detalhando suas mudanças ao longo do tempo, e apresenta um importante ramo, a Paleoclimatologia, responsável por identificar padrões climáticos ao longo de milhões de anos. As propriedades físicas e químicas das rochas e outros sedimentos encontrados no fundo do mar também são foco de estudo desta ciência.

Oceanografia Química

Tem como enfoque a composição da água e sua influência sobre os organismos, a atmosfera e o fundo oceânico. O armazenamento de CO2 no sedimento marinho é um dos processos estudados neste segmento, vide seu papel essencial na regulação dos gases estufa, e, por consequência, do aquecimento global. Além deste, a acidificação dos oceanos, outro processo associado ao CO2, provoca a dissolução do carbonato de cálcio, substância que compõe a carapaça de conchas e o esqueleto de corais. Efeitos de poluentes e outras substâncias tóxicas lançadas no ambiente marinho também são avaliados pela Oceanografia Química.

Cenário atual

A Oceanografia é uma ciência em expansão, principalmente pela crescente atenção direcionada às mudanças climáticas globais. Com isso, uma série de tecnologias vêm sendo desenvolvidas, permitindo a exploração de várias regiões oceânicas, inclusive em altas profundidades. A Fossa Mariana corresponde ao ponto mais profundo do oceano (11.034 metros), conhecido como Challenger Deep, alcançado em 2012 pelo diretor de cinema James Cameron a bordo do Deepsea Challenger, veículo submarino altamente moderno construído para fins científicos.

Referências:

Deepsea Challenger. National Geographic: http://www.deepseachallenge.com/

Encyclopaedia Britannica: https://www.britannica.com/science/oceanography

National Geographic: https://www.nationalgeographic.org/encyclopedia/oceanography/