Aliança Renovadora Nacional

Mestrado em História (UFJF, 2013)
Graduação em História (UFJF, 2010)

Entre as medidas tomadas pelos militares que estabeleceram as características do novo regime existente no país após 1964 estava a dissolução dos partidos políticos. O governo militar determinou a existência do bipartidarismo no Brasil, sendo que um partido reunia a oposição e o outro representava o regime, este era chamado de Aliança Renovadora Nacional.

O governo militar tomou várias medidas assim que chegou ao poder para impedir a organização e o avanço da oposição. A tentativa de garantir o golpe dado no ano de 1964 envolveu uma série de decretos do governo, os quais restringiam o poder de articulação da oposição. No dia 27 de outubro de 1965 foi publicado o Ato Institucional Número Dois, o qual foi seguido um pouco depois, no dia 20 de novembro de 1965, pelo Ato Complementar Número Quatro. Estas duas medidas do governo extinguiram o pluripartidarismo no Brasil, os treze partidos políticos que existiam no país foram colocados na ilegalidade e sumariamente fechados. Em lugar do pluripartidarismo ficou então estabelecido o bipartidarismo no Brasil.

O bipartidarismo determinou no Brasil a criação de um partido que desse sustentação ao governo e de outro que exercesse dentro do possível a oposição. A medida do governo servia para garantir a visibilidade internacional de democracia no país, entretanto a oposição tinha poucos recursos para se manifestar, pois era controlada pelo governo. Nesses moldes, surgiu no país o partido de oposição denominado de Movimento Democrático Brasileiro (MDB) e do lado da situação a Aliança Renovadora Nacional (ARENA). Esta foi fundada no dia 4 de abril de 1966, de perfil plenamente conservador, seus membros e eleitores eram chamados de “arenistas”.

A ARENA estreou em eleições diretas para prefeitos e vereadores no ano de 1968. Na primeira disputa contra o MDB saiu vencedora. A maior vitória do partido do governo se daria nas eleições de 1970 quando o resultado foi esmagador e o MDB conseguiu eleger apenas três senadores. A derrota foi tão impactante que os políticos do MDB se reuniram para conversar sobre o encerramento do partido, uma vez que o mesmo quase não atingiu a votação mínima necessária para poder continuar existindo, que é de 20%.

O período de grande crescimento do Brasil conhecido como milagre econômico era o responsável por sustentar a boa imagem do governo dos militares. Mas por trás da máscara do crescimento se escondiam diversos atos de opressão e falta de democracia, dos quais o povo ainda não tinha atentado para. Nesse embalo, que marcou o período entre os anos de 1968 e 1973, a ARENA se deu muito bem nas urnas nas eleições citadas e também em 1972 quando vence as eleições municipais na maioria dos municípios brasileiros.

Entretanto em 1973 veio a Crise do Petróleo, os preços no Brasil aumentaram muito junto com a inflação. O alicerce que sustentava a boa imagem do governo, o milagre econômico, chega ao fim e o reflexo foi visto nas eleições de 1974. As eleições que ocorreram no dia 15 de novembro marcaram uma derrota inesperada do partido do governo, a ARENA, o MDB conseguiu eleger 17 senadores enquanto a ARENA apenas cinco. A situação começou a ficar ruim para a ARENA, seu último programa de governo aprovado foi em 1976 e tinha como itens a busca de uma democracia representativa, o desenvolvimento econômico com paz social, a opção pela economia de mercado, a ocupação da Amazônia e a reforma agrária. Os militares já começavam apontar mudanças na tentativa de conquistar o povo e recuperar as vitórias eleitorais.

Nas eleições seguintes, em 1978, o MDB obteve novamente a maioria dos votos, todavia continuava em minoria no Congresso porque tradicionalmente a ARENA tinha muita força nos pequenos municípios. O discurso da ARENA era sempre de valorização do desenvolvimento econômico, fazendo referência às obras promovidas pelo governo militar. Contudo o crescimento da oposição ficava incontrolável e o povo fazia pressão pela reabertura política junto com o MDB. Assim, em 20 de dezembro de 1979 chegou ao fim o sistema bipartidarista no Brasil, restaurando o pluripartidarismo no país e permitindo a criação de várias legendas que tiveram origem nos partidos existentes até então. A ARENA, que não se fragmentou tanto como o MDB, mudou seu nome para Partido Democrático Social (PDS).

Arquivado em: Ditadura Militar