Infecção

Por Ana Lucia Santana
A infecção caracteriza um quadro de invasão do organismo por microrganismos estrangeiros, que se esforçam para tomar conta deste espaço, usando para isso os próprios meios encontrados no corpo prestes a ser colonizado. Isto traz consequências muito negativas para o hospedeiro, que vê seu mecanismo de funcionamento afetado pela presença destes agentes destruidores, os quais podem provocar inúmeras enfermidades. Normalmente a área atingida responde com um processo inflamatório.

Esta propagação de agentes infecciosos pode em um exame clínico passar despercebida, ou causar danos às células atingidas, seja por conta de um metabolismo competitivo, da proliferação de toxinas, de um mecanismo de duplicação do material genético contido no interior das células, ou devido à maneira como os antígenos provocarão a formação de anticorpos.

A infecção se comporta de diversas formas. Ela se restringe a um único local do organismo, assume uma feição subclínica e efêmera se o sistema imunológico agir com eficiência, ou permanece no hospedeiro e se multiplica para se transformar em um caso clínico ou em enfermidade aguda – grave, mas de curta duração -, subaguda ou crônica - persistente. Pode também uma mera infecção localizada invadir o sistema orgânico se encontrar uma passagem pelo sistema linfático ou vascular.

Todos os mecanismos infecciosos apresentam igualmente uma ação inflamatória, embora nem todas as inflamações caracterizem uma infecção. Para que se diagnostique esta invasão de microrganismos é preciso que haja a presença de agentes infecciosos, e muitas vezes também o aparecimento de pus, quando já está em marcha um processo de supuração.

O agente que provoca a infecção tem o poder de entrar no organismo, fixar-se nele e aí se disseminar. Alguns destes seres são os vírus, as bactérias, os fungos, os protozoários e os helmintos, os quais desenvolvem uma espécie de convivência com o hospedeiro, conhecida como parasitismo.

Embora alguns destes microrganismos possam isoladamente causar diversas enfermidades, normalmente cada distúrbio orgânico está associado a um único agente. Muitos deles são capazes de provocar doenças apenas em uma espécie animal, outros alcançam uma amplitude maior de seres vivos. Assim, determinadas doenças atingem somente o Homem, enquanto outras, por exemplo, infectam praticamente todos os mamíferos.

Há pelo menos treze formas de manifestação das infecções:

  • Aéreas, transmitidas por intermédio da atmosfera e dos seres nela impregnados;
  • Critogênica, de origem desconhecida;
  • Direta, por contágio de alguém já enfermo;
  • Endógena, provocada por agente já presente no corpo;
  • Exógena, provinda de microrganismo externo;
  • Focal, localizada em um único ponto;
  • Indireta, obtida por meio da água, de alimentos ou outros fatores que não sejam o próprio ser humano;
  • Nosocomial ou hospitalar, são infecções adquiridas em hospitais, clínicas, etc;
  • Oportunista, a qual surge com a queda da imunidade;
  • Puerperal, que ataca normalmente depois do parto;
  • Secundária, que sucede outra infecção;
  • Séptica ou septicemia, de natureza muito séria e que provoca a multiplicação dos agentes por todo o sistema orgânico;
  • Terminal, que comumente leva à morte.

Fontes:
http://www.lookfordiagnosis.com/mesh_info.php?term=doença+aguda&lang=3
http://pt.wikipedia.org/wiki/Inflamação
http://www.lookfordiagnosis.com/mesh_info.php?term=Infecção&lang=3
http://pt.wikipedia.org/wiki/Infecção
http://wiki.educartis.com/wiki/index.php?title=Agentes_infecciosos

AVISO LEGAL: As informações disponibilizadas nesta página devem apenas ser utilizadas para fins informacionais, não podendo, jamais, serem utilizadas em substituição a um diagnóstico médico por um profissional habilitado. Os autores deste site se eximem de qualquer responsabilidade legal advinda da má utilização das informações aqui publicadas.