Camadas da Terra

Por Renato Marcondes
Os estudos sobre as camadas geológicas da Terra são fundados a partir de perfurações da crosta terrestre, mas sendo assim dos aproximadamente 6370 km de profundidade até o centro da Terra, as escavações só tem acesso aos primeiros quilômetros, sobrando assim à determinação do interior terrestre por auxilio das ondas sísmicas (são ondas que se propagam através das partículas dos elementos sólidos e líquidos que se encontram no interior terrestre), as quais auxiliam no descobrimento das características internas de nosso planeta..

Os terremotos que são captados pelos sismógrafos, quando tem os dados apurados de forma íntegra, são uma rica fonte de dados para a conclusão das hipóteses sobre a constituição interna do globo. Essas leituras nos fornecem dados, por exemplo, sobre a densidade das rochas tanto em estado sólido como quando estão parcialmente fundidas.

O planeta Terra se subdivide em três partes principais: crosta, manto e núcleo, descobertos através das ondas sísmicas primárias e secundárias.

A camada chamada de crosta é a mais externa do globo sendo constituída de aproximadamente 35 km de espessura em áreas planas e em regiões montanhosas podendo chegar a 65 km. Acredita-se que as áreas continentais assemelham-se aos icebergs, pelo principio de que a maior parte dos continentes esta submersa em um material muito denso, permitindo que assim estes "flutuem" - leia Placas Tectônicas.

O manto é a camada de maior extensão, com cerca de 80% do diâmetro terrestre, é parcialmente fundida e grosseiramente homogênea, dividindo-se em manto superior e inferior. Durante os anos de 1965 a 1970 foram realizadas pesquisas a fim de fazer novas e importantes descobertas sobre o interior do globo, e muitas foram feitas baseadas nas ondas do tipo ‘s’ (secundárias).

Assim, foi descoberta a subcamada denominada "litosfera" e "astenosfera". A litosfera é uma camada com cerca de 70 km de espessura que suporta os continentes e as áreas oceânicas com grande velocidade de propagação de ondas sísmicas, sendo responsável pelo processo natural de terremotos. A astenosfera possui aproximadamente 700 km de profundidade que compreende o manto superior, parcialmente fundido permitindo à movimentação das placas rígidas da litosfera, e o manto inferior que compreende o manto até o limite do núcleo.

A terceira e ultima parte do globo terrestre é o núcleo (parte central), que foi sugerida por R. D. Oldham em 1906. É composto principalmente de elementos metálicos como ferro e níquel, descoberta feita através do cruzamento entre informações sismológicas e experimentos laboratoriais. Em 1936, Inge Lehman sugeriu o contato entre o as duas partes que formam o núcleo, o núcleo interno e externo. O núcleo interno é sólido, e o externo está em estado líquido. O movimento circular do material do núcleo externo é que gera o campo magnético da Terra.