Ovo

Por Marina Martinez
Pode-se definir ovo como sendo o zigoto resultante da fecundação do óvulo. Este zigoto é formado devido à união de dois gametas, ou seja, é produzido pela fertilização entre duas células haplóides, um óvulo de uma fêmea e um espermatozóide de um macho, que se juntam para formar uma única célula diplóide. O ovo formado contendo o embrião, pode se desenvolver internamente como também externamente, dependendo da espécie.

Ovos de diversos tamanhos: aveztruz, galinha e codorna. Foto: nik7ch / Shutterstock.com

Ovos de diversos tamanhos: aveztruz, galinha e codorna. Foto: nik7ch / Shutterstock.com

Nos animais ovíparos (animais que põem ovos), tais como as aves, os insetos, os peixes, os moluscos e duas espécies de mamíferos (ornitorrinco e équidnas), assim que o ovo é formado, estes animais os depositam em terra ou na água, para que haja o desenvolvimento embrionário externamente. No entanto, espécies denominadas ovovivíparas ao invés de expelirem os ovos param se desenvolverem externamente, carrega-nos dentro de seus corpos até que possam eclodir (internamente) e nascer um novo ser, muito comum em alguns peixes, répteis e invertebrados. Já os animais vivíparos o ovo é formado, porém desenvolvido dentro do útero, sendo o embrião nutrido diretamente pela mãe, diferentemente dos ovíparos e ovovivíparos onde o embrião é nutrido por nutrientes contidos no ovo.

Os ovos da maioria dos animais possuem formato elipsóide ou ovóide e são delimitados por uma membrana interna denominada vitelo, que é muito nutritiva e composta principalmente por fibras de proteína. A quantidade e a distribuição do vitelo variam em cada espécie. Portanto, podemos classificar os ovos em:

  • Oligolécitos ou Isolécitos: Estes ovos possuem uma quantidade reduzida de vitelo, distribuídos uniformemente pelo citoplasma. São ovos encontrados nos mamíferos placentários, anfioxos e equinodermos.
  • Heterolécitos ou Mesolécitos: São ovos cuja composição vitelina ocupa cerca da metade do volume citoplasmático (pólo vegetativo), distribuída de forma não-homogênea. São ovos encontrados nos anelídeos, anfíbios e moluscos.
  • Telolécito ou Megalécito: São ovos cuja concentração de vitelo é grande e ocupa quase todo o ovo. São ovos encontrados nas aves, peixes e répteis.
  • Centrolécito: São ovos cujo vitelo circunda o núcleo, encontrados nos artrópodes.

Os ovos presentes em ambientes terrestres, como os dos répteis, das aves e monotremados são protegidos por uma casca que funciona como um escudo protetor contra possíveis predadores (gambás, raposas, gaivotas, corvos, etc). Estes ovos ainda possuem minúsculos poros que permitem que o embrião possa respirar. Nesta categoria de ovos terrestres existe uma espécie conhecida por produzir ovos imensos. São as avestruzes, que além de se destacarem por serem aves exóticas recebem os méritos de serem as campeãs dos ovos grandes (ovos de 16 cm de comprimento). Os ovos de avestruz chegam a pesar aproximadamente 1.5 kg e são tão resistentes, que suportam perfeitamente o peso de um adulto sentado sobre eles.

Existe também uma espécie que merece ser destacada, mas não pelos ovos grandes, e sim pelos menores ovos do mundo. É a espécie de beija-flor Mellisuga helenae, comumente conhecida como o beija-flor de helena. Esta espécie põe ovos com menos de 10 milímetros e peso abaixo de 1 grama.

Já os ovos presentes em ambientes aquáticos, como os dos peixes e anfíbios, são gelatinosos e não possuem casca. Neste meio, um grande número de ovos é colocado de uma só vez por várias espécies, como os bacalhaus.

As cores dos ovos são variadas dependendo da espécie. A cor padrão dos ovos dos animais vertebrados é o branco, porém alguns tipos de aves, especialmente as passeriformes produzem ovos coloridos.

Na culinária os ovos são muito apreciados, especialmente os de galinha. São consumidos em variadas formas desde cru até cozidos, sendo uma fonte riquíssima de proteínas. Porém, as pessoas que possuem o hábito de consumi-los cru, correm um grande risco de contrair uma bactéria denominada Salmonella, que pode causar grave intoxicação alimentar.

Referências Bibliográficas:
http://pt.wikipedia.org/wiki/Ovo
http://pt.wikilingue.com/es/Ovo_(biologia)
http://www.portaleducacao.com.br/biologia/artigos/1529/ovos-e-anexos-embrionarios
http://pt.wikipedia.org/wiki/Vitelo
http://www.cynara.com.br/embriologia.htm
http://www.biomania.com.br/bio/conteudo.asp?cod=1212