Placentários

Os placentários fazem parte do grupo dos Térios, infraclasse Eutheria e classe Mammalia. São chamados de placentários pois têm placenta cório-vitelínica e a placenta corioalantóidea. Seus filhotes se desenvolvem completamente dentro do útero materno.

Sistema reprodutivo

O sistema reprodutor masculino tem os testículos, produtores de gametas (espermatozoides) e o pênis, órgão introdutor do lado externo do corpo. O sistema reprodutor feminino é completamente interno ao corpo na região abdominal. O útero, onde o embrião é implantado e se desenvolve, é ligado aos dois ovários (produtores dos gametas, óvulos) pelas tubas uterinas direita e esquerda. O útero ainda forma, junto com a abertura vaginal, um canal para o nascimento do filhote (canal cervical ou colo uterino).

Reprodução

A fecundação é interna. Os espermatozoides são liberados no canal vaginal e são levados até as tubas uterinas com ajuda muscular do útero. Lá acontece, então a fusão dos gametas e o zigoto (primeiro estágio de desenvolvimento) começa se encaminhar para o útero. Chegando no útero o zigoto se fixa a parede uterina (endométrio), que irá se desenvolver e diferenciar em estruturas para suportar, alimentar e proteger o embrião.

Placenta

Algumas estruturas das placentas são derivadas do próprio embrião, por isso são chamadas de anexos embrionários. São eles: saco vitelínico, âmnion, córion, alantoide.

Saco vitelínico

Saco vitelínico é o primeiro anexo formado. A função primária do saco vitelínico é a nutrição do embrião nos estágios iniciais de desenvolvimento, formando depois parte do sistema digestivo do embrião e as células sanguíneas (hemácias).

Âmnion

O âmnion tem como função proteger o embrião contra impacto, pois forma um saco ao redor do cordão umbilical) cheio de líquido. Este líquido é chamado de líquido amniótico. Ele não é absorvido, é reciclado pela circulação na placenta e acaba fazendo uma barreira contra infecções, dessecação, lubrifica as vias respiratórios e serve de depósito de excretas.

Córion

O córion é o tecido que envolve o embrião e junto com o endométrio uterino (parede do útero) irá formar a placenta. O córion produz vilosidades que penetram no tecido materno fazendo a conexão entre eles. Nessas vilosidades estão os vasos sanguíneos.

Alantoide

Essa estrutura dará origem aos vasos do cordão umbilical (que estão nas vilosidades coriônicas), parte do sistema digestivo e sistema urogenital (excretor e reprodutor) do animal. Os vasos do cordão umbilical fazem troca gasosa com os vasos maternos que passam por entre as vilosidades.

Sistemática

As ordens mais conhecidas dos mamíferos placentários são: Insectivora, Chiroptera, Primata, Edentata, Lagomorpha, Rodentia, Cetacea, Carnivora, Proboscidea, Sirenia, Perissodactyla e Artiodactyla.

  • Insectivora – Animais pequenos de focinho longo, fino e com dentes afiados como as toupeiras que comem insetos.
  • Chiroptera – São os mamíferos voadores, morcegos e vampiros.
  • Primata – Todos têm o dedo polegar opositor. Estão nela os macacos, lêmures e humanos.
  • Edentata – Animais sem dente ou bastante reduzidos. Alguns exemplos são tamanduá, preguiça e tatú.
  • Lagomorpha – São animais com patas traseiras adaptadas para saltos como as lebres e coelhos.
  • Rodentia – Roedores são animais que também tem dentes com crescimento contínuo, pois se alimentam de sementes e raízes. Eles são castores, ratos, esquilos e capivaras.
  • Cetacea – Animais marinhos de corpo fusiforme, e uma abertura na parte de cima da cabeça, as narinas. São as baleias e os golfinhos.
  • Carnivora – São caçadores e têm seus dentes caninos afiados. São eles leões, tigres etc.
  • ProboscideaElefantes são os animais dessa ordem. Eles têm o nariz e o lábio superior modificados em trombas.
  • Sirenia – Os sirenios são peixes-boi. Animais aquáticos, narinas ficam no topo do focinho e herbívoros.
  • Perissodactyla – Têm cascos com dedos ímpares. Exemplos dessa ordem são cavalos, zebras etc.
  • Artiodactyla – Cascos com dedos pares. São porco, girafa, hipopótamo etc.

Referências:

Zoologia geral e comparada II, 1998 – Páginas 70 e 71

Hickman, Princípios integrados de zoologia 14 edição, 2008 – Páginas 628 a 630 e 637 a 640

Pough, A vida dos vertebrados 4 edição, 2008 – Páginas 554 a 558

Dangelo & Fattini, Anatomia humana básica 2 edição, 2002 – Páginas 143 a 158

Gilbert, Biologia do desenvolvimento 5 edição, 2003 – Páginas 242 a 248

Arquivado em: Mamíferos