Globo Ocular

Por Débora Carvalho Meldau
Os olhos são órgãos fotossensíveis complexos que atingem alto grau quanto sua evolução, possibilitando uma análise minuciosa quanto à forma dos objetos, sua cor e intensidade de luz refletida. Em outras palavras, ele é capaz de perceber a luz e transformar essa percepção em impulsos elétricos.

Os seres que possuem olhos mais simples, não fazem mais do que detectar se a zona onde se encontra está iluminada ou escura. Já os seres que têm olhos mais complexos, possuem o sentido da visão.

Cada olho (globo ocular) encontra-se dentro de uma caixa óssea protetora, denominada órbita, e apresenta basicamente uma câmara escura, uma camada de células receptoras sensoriais, um sistema de lentes para focalizar a imagem e um sistema de células para iniciar o processamento dos estímulos e enviá-los ao córtex cerebral.

O olho é composto por três túnicas dispostas concentricamente, são elas:

  1. A camada externa, formada pela esclera e córnea;
  2. A camada média ou túnica vascular, constituída pela coróide, pelo corpo ciliar e pela íris;
  3. A camada interna ou a retina, que se comunica com o cérebro por meio do nervo óptico.

Além desses envoltórios, o olho apresenta o cristalino (lente), que é uma estrutura biconvexa transparente, que é mantida em posição graças a um ligamento circular, a zônula ciliar, que se encontra inserida sobre um espessamento da camada média, o corpo ciliar. Em frente ao cristalino existe uma expansão pigmentada e opaca da camada média, que recobre em parte, a íris.

O olho possui três compartimentos: a câmara anterior, localizada entre a íris e a córnea; a câmara posterior, entre a íris e o cristalino; e o espaço vítreo, localizado atrás do cristalino e circundado pela retina. Na câmara anterior e na posterior existe um líquido que contém proteínas: o humor aquoso. O espaço vítreo, que é limitado pela retina e pelo cristalino, apresenta-se repleto de uma substância viscosa e gelatinosa, denominada corpo vítreo.

Também fazendo parte do globo ocular, mas localizadas fora dele, encontram-se o aparelho lacrimal e as pálpebras.

Existem alguns distúrbios de refração que são causados por problemas no cristalino ou na córnea. Estes podem ser corrigidos com o uso de lentes de contato ou óculos de grau, podendo vir acompanhados ou não, de doenças oculares mais graves. Dentre esses problemas encontram-se:

  • Miopia: indivíduos que portam a miopia possuem dificuldade de enxergar longe.
  • Hipermetropia: indivíduos portadores de hipermetropia possuem dificuldade de enxergar perto.
  • Presbiopia: também conhecido como vista cansada, esse distúrbio geralmente aparece após os 40 anos de idade e seus portadores possuem dificuldade para enxergar de perto.
  • Astigmatismo: geralmente ocorre quando há uma diferença entre as curvaturas corneanas, levando à dificuldade de enxergar uma reta em determinada posição e não em outra.

Fontes:
http://pt.wikipedia.org/wiki/Olho
Histologia Básica – Luiz C. Junqueira e José Carneiro. Editora Guanabara Koogan S.A. (10° Ed), 2004.