Sete Maravilhas do Mundo Moderno

Mestre em Artes Visuais (UDESC, 2010)
Graduada em Licenciatura em Desenho e Plástica (UFSM, 2008)

Todos já ouvimos falar sobre as Sete Maravilhas do Mundo, mas poucos sabem que elas se dividem em maravilhas do mundo antigo e do mundo moderno. Tratam-se de monumentos feitos pelo homem que se destacam por sua grandiosidade e beleza, entre outros.

Até 2007 o mundo contava apenas com uma lista das maravilhas da antiguidade, porém em 2005 uma organização suíça denominada New Open World Corporation (NOWC) idealizou uma revisão, de caráter recreativo, da lista atual original. Assim a nova lista, disposta na internet, poderia ser visualizada e votada pelo público que ajudou a selecionar. A lista que contava com 200 monumentos, foi reduzida a 77 e estes, submetidos a nova seleção e reduzidos por um grupo de arquitetos, a 21 com bases em critérios de beleza, complexidade técnica, valor histórico e cultural, entre outros. A votação online foi uma das maiores já realizadas contando com cerca de cem milhões de votos. Em 07 de julho de 2007, numa cerimônia no Estádio da Luz em Lisboa, Portugal, foram conhecidos os sete primeiros lugares dessa lista.

A listagem final conta com os seguintes monumentos: Coliseu de Roma (Itália), Chichén Itzá (México), Machu Picchu (Peru), Cristo Redentor (Brasil), Muralha da China (China), As Ruínas de Petra (Jordânia) e Taj Mahal (Índia).

1. Coliseu de Roma

Coliseu (Roma, Itália). Foto: Viacheslav Lopatin / Shutterstock.com

O Coliseu é uma das maiores construções do Império Romano, foi construído, aproximadamente, em 70 d.C., a mando do Imperador Vespasiano e concluído durante o governo de seu filho Tito. Ele foi palco de sangrentas batalhas entre gladiadores e animais ferozes. O Coliseu foi inaugurado cerca de oito anos após o início da sua construção. Para inauguração foram programadas uma série de festas e jogos que duraram cem dias; durante este período de inauguração morreram cerca de nove mil animais e dois mil homens. O Coliseu, também conhecido como Anfiteatro Flaviano, está localizado no centro da cidade de Roma na Itália. Suas atividades foram encerradas em 523 d.C. mas suas ruínas ainda atraem turistas de todo o mundo, impressionados por sua história.

2. Chichén Itzá

Templo de Kukulcán, Chichén Itzá, México. Foto: jgorzynik / Shutterstock.com

É uma cidade arqueológica localizada na cidade de Tinun, na província mexicana de Yucatã, considerada a capital da civilização Maia entre 250 d.C. e 900 d.C.. A Pirâmide de Kukulkan ou El Castillo é o ponto mais conhecido do local e o vestígio arqueológico mais importante da civilização Maia. Juntamente com o templo de Chac Mool, a Praça das Mil Colunas e o Campo de Jogos dos Prisioneiros compõem as estruturas da cidade, formando um espetacular sítio arqueológico. Além de ser uma das sete maravilhas do mundo moderno, Chichén Itzá é considerada patrimônio cultural do México e patrimônio da humanidade.

3. Machu Picchu

Machi Picchu, Peru. Foto: life-is-adventure / Shutterstock.com

Conhecida como “a cidade perdida dos Incas”, Machu Picchu localiza-se no topo de uma montanha na Cordilheira dos Andes mais de 2400 metros acima do nível do mar, no vale do Urubamba, atual Peru. São cerca de 33 mil hectares de vales montanhosos. Machu Picchu em Quíchua (língua indígena da América do Sul), significa “Velha Montanha” e hoje é considerada o principal símbolo do Império Inca. As ruínas da cidade ficam dentro do Santuário Histórico de Machu Picchu. Infelizmente com a chegada dos espanhóis no século XVI, o Império Inca foi se desfazendo e Machu Picchu foi aos poucos sendo abandonada. Em 24 de julho de 1911, as ruínas dessa obra foram descobertas pelo arqueólogo inglês Hiram Bingham. Machu Picchu, além de uma das Sete Maravilhas do Mundo Moderno, também é desde 1983, patrimônio histórico da Unesco.

4. Cristo Redentor

Cristo Redentor, Rio de Janeiro, Brasil. Foto: Mark Schwettmann / Shutterstock.com

Mais uma das Sete Maravilhas do Mundo Moderno localizada na América Latina, porém a única que fica no Brasil, na cidade do Rio de Janeiro, e que compõe o Parque Nacional da Tijuca. Além de fazer parte dessa lista, o Cristo Redentor é um dos maiores símbolos do Brasil e maior ponto turístico da cidade do Rio de Janeiro, recebendo cerca de dois milhões de visitantes ao ano. Este magnífico monumento foi construído em 1931 e inaugurado em 12 de outubro do mesmo ano. O Cristo Redentor mede cerca de 38 metros, sendo oito metros de pedestal e trinta metros de estátua, além disso, seus braços se estendem por cerca de 28 metros de largura e seu peso total 1145 toneladas. Construído sobre o morro do Corcovado, o Cristo Redentor é a terceira maior estátua de Cristo do mundo. De estilo Art Déco, concebido em pedra-sabão e concreto armado, o monumento foi projetado pelo engenheiro brasileiro Heitor da Silva Costa, com a colaboração do escultor francês Paul Landowski e o engenheiro, também, francês Albert Caquot.

5. Grande Muralha da China

Trecho da Grande Muralha da China. Foto: Yuri Yavnik / Shutterstock.com

Construída com a intenção de proteger o império chinês, a Grande Muralha da China teve sua construção iniciada cerca de 220 a.C. a mando do imperador chinês Qin Shihuang, da dinastia Qin, com início da província de Gansu e termino do Golfo de Bohai. Tem mais de vinte mil quilômetros de comprimento e atravessa vales e montanhas ao longo de onze províncias, com partes que chegam a oito metros de altura e quatro metros de largura. Badaling é um dos trechos mais visitados em função da sua proximidade à capital Pequim, recebendo aproximadamente mais de quatro milhões de turistas ao ano. A Muralha da China, além de proteger o país, tinha também o objetivo de ocupar homens desordeiros e soldados desocupados com o fim das guerras. Calcula-se que mais de um milhão de trabalhadores participaram de sua construção; cerca de 300 mil desses homens morreram em decorrência das condições de trabalho.

6. Ruínas de Petra

Câmara do Tesouro, nas Ruínas de Petra. Foto: Aleksandra H. Kossowska / Shutterstock.com

Localizada ao sul da Jordânia (região do Mar Morto), no Oriente Médio, as Ruínas de Petra compreendem um conjunto arqueológico que conta com várias construções arquitetônicas escavadas na rocha, possivelmente fundada em 312 a.C. O termo petra vem do grego “Petrus” e significa pedra. As ruínas também são conhecidas como Cidade Rosa em função da cor das rochas ali existentes. Seu estilo arquitetônico predominante é o helenístico e seu prédio mais conhecido é o prédio da Câmara do Tesouro. As Ruinas de Petra foram um importante centro comercial que prosperou durante o império Romano e Bizantino até ser devastada por dois grandes tremores de terra em 551 d.C. Apesar da ação do tempo, as ruines resistem e são consideradas Patrimônio Mundial da Unesco e um dos pontos turísticos mais visitados do oriente.

7. Taj Mahal

Taj Mahal, Índia. Foto: Olena Tur / Shutterstock.com

O Taj Mahal possui uma história de amor que encanta até mesmo os corações mais duros. Este grandioso monumento é na verdade um mausoléu e foi construído a mando do imperador Shah Jahan para abrigar os restos mortais de sua esposa Aryumand Banu Begam, conhecida por Mumtaz Mahal, falecida durante o parto do seu 14º filho. Está localizado na cidade de Agra, no estado de Uttar Pradesch, na Índia. Erguido entre os anos de 1630 e 1652, o Taj Mahal foi construído em mármore branco e sua arquitetura está repleta de pedras preciosas, além de inscrições retiradas do Alcorão. Além de ser uma das Sete Maravilhas do Mundo Moderno, o Taj Mahal, também, é classificado pela Unesco como Patrimônio da Humanidade e é um dos pontos turísticos mais representativos de toda a Índia. O imperador pretendia construir outro prédio igual ao Taj Mahal, do outro lado do rio Yamuna e com pedras negras, mas acabou morrendo antes do início de sua construção.

Arquivado em: Arquitetura, Curiosidades