Mikhail Bakhtin

Nascido no dia dezessete de novembro do ano de 1895 em Orel (Rússia), Mikhail Mikhailovich Bakhtin foi um pensador e filósofo, além de teórico de artes e cultura da Europa. Considerado um dos maiores estudiosos da linguagem humana, suas obras sobre diversos temas influenciaram uma infinidade de pensadores de diversas áreas como: crítica da religião, estruturalismo, semiótica e marxismo. Além disso, também teve forte influência nas seguintes disciplinas: psicologia, antropologia, história, filosofia, crítica literária, entre outras.

As ideias de Bakhtin, embora fossem ativas nas discussões sobre literatura e estética, não encontraram espaço durante os anos 20 na União Soviética. Porém, nos anos 60, um grupo de estudiosos da Rússia redescobriu sua obra, o que acabou tornando-o conhecido e fez com que suas ideias fossem difundidas. Entre outros feitos, Bakhtin foi o criador do conceito de polifonia referente a obras literárias, que era parte de uma teoria inovadora sobre o romance europeu.

Ao explorar princípios artísticos do romance, criou a teoria do humor popular e da cultura universal. Menippea, carnavalização, cronotopo, cultura cômica e polifonia são alguns de seus principais conceitos. Bakhtin produziu vários livros a respeito de questões de teoria geral, teoria e estilo dos gêneros de discurso. É considerado um dos líderes do "Círculo de Bakhtin", um grupo formado por intelectuais da Rússia.

Uma das principais obras de Mikhail Bakhtin é “Marxismo e Filosofia da Linguagem”, na qual pretende dotar a teoria do marxismo de uma formulação coesa quando relacionada à psicologia e à ideologia, superando de forma simultânea o subjetivismo idealista e o objetivismo abstrato. Para atingir seu objetivo, encontra um signo ideológico e social no signo linguístico, relacionando a interação da sociedade com a consciência individual. De acordo com Bakhtin, não é o pensamento que faz surgir a ideologia, mas sim a ideologia que origina o pensamento do indivíduo.

A obra “Marxismo e Filosofia da Linguagem” foi escrita por Bakhtin ao fim dos anos 20, mas ainda apresenta uma atualidade admirável e forma a fundamentação de teoria semiótica e textual utilizada atualmente. Com características interdisciplinares, sem apresentar caráter positivista ou mecânico, impulsiona novas interpretações sobre ideologia, comunicação, linguagem e signo. De forma original, introduz o materialismo dialético no campo linguístico.

As principais obras de Mikhail Bakhtin são: “Freudismo”, “Marxismo e Filosofia da Linguagem”, “Cultura Popular na Idade Média: o contexto de François Rabelais”, “Estética da Criação Verbal”, “Problemas da poética de Dostoiévski” e “Questões de Literatura e de Estética”, todas com edições em português.

Fontes:

http://pt.wikipedia.org/wiki/Mikhail_Bakhtin

http://www.fecra.edu.br/admin/arquivos/MARXISMO_E_FILOSOFIA_DA_LINGUAGEM.pdf

http://www.slideshare.net/thiagohermont/esquema-bakhtin

http://www.ifono.com.br/ifono.php/sobre-mikhail-bakhtin-

Arquivado em: Biografias, Filósofos