Questões da prova Unespar 2015

Selecionamos as questões mais relevantes da prova de vestibular Unespar 2015. Confira!
* Obs.: a ordem e número das questões aqui não são iguais às da prova original.

Questão 1:

O texto 01 é um excerto do relatório que expõe dados da pesquisa intitulada "Tolerância à violência contra as mulheres", realizada pelo IPEA (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada). O IPEA, conforme dispõe em seu sítio institucional, "é uma fundação pública federal vinculada à Secretaria de Assuntos Estratégicos da Presidência da República. Suas atividades de pesquisa fornecem suporte técnico e institucional às ações governamentais para a formulação e reformulação de políticas públicas e programas de desenvolvimento brasileiros".

Sobre a leitura e sobre a análise de aspectos linguísticos do texto 01, assinale os itens considerados CORRETOS para depois escolher a única alternativa representativa:

I - “No entanto”opõe as informações apresentadas no primeiro parágrafo às apresentadas no segundo, de modo que as informações do segundo parágrafo sejam evidenciadas. O efeito do uso de “no entanto”, portanto, é adversativo, mas, ao mesmo tempo, compensativo porque fica implícita a ideia de que “no entanto” poderia funcionar quase como “mas em compensação “.
II - Ao apresentar dados percentuais no segundo parágrafo, a pesquisa revela que a maioria dos entrevistados apresentam posicionamentos machistas sobre o comportamento feminino.
III - Quando o relatório apresenta o seguinte resultado/análise: “Residentes no Sul/Sudeste, jovens e pessoas com educação média e superior apresentavam chances ainda menores de concordar com a afirmação”, permite ao leitor entender que nas outras regiões os dados não são os mesmos que se apresentam na Sul e na Sudeste. É possível entender, então, que estariam no norte ou nordeste e entre os menos escolarizados o número daqueles que ainda concordam com um discurso machista.
IV - Se o relator optasse por destacar as regiões e os grupos etários e não escolarizados que mais concordaram com a afirmação de que ‘as mulheres que usam roupas que mostram o corpo devem ser estupradas’, evidenciaria a opinião de outros sujeitos, o que poderia despertar inquietação dos mesmos ou despertar outras avaliações por parte dos leitores. Dessa forma, é possível perceber que há, sempre, maneiras diferentes para se dizer praticamente as mesmas coisas e que os efeitos dessas escolhas importam, na medida em que evidenciam isso ou aquilo.
V - Ao lermos o segundo parágrafo do texto 01, podemos comprovar que relatórios podem não somente apresentar dados, mas também análise e interpretações dessas informações.


Questão 2:

O texto 01 é um excerto do relatório que expõe dados da pesquisa intitulada "Tolerância à violência contra as mulheres", realizada pelo IPEA (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada). O IPEA, conforme dispõe em seu sítio institucional, "é uma fundação pública federal vinculada à Secretaria de Assuntos Estratégicos da Presidência da República. Suas atividades de pesquisa fornecem suporte técnico e institucional às ações governamentais para a formulação e reformulação de políticas públicas e programas de desenvolvimento brasileiros".

Analise os dois enunciados elaborados pelo IPEA e dirigidos a seus entrevistados e assinale a única alternativa que contempla todo o conjunto de afirmações verdadeiras, no que se refere às possíveis leituras corroboradas pela análise de aspectos linguísticos:

a) mulheres que usam roupas que mostram o corpo merecem ser atacadas;
b) se as mulheres soubessem como se comportar, haveria menos estupros"

1) No enunciado a, especifica-se, a partir da oração subordinada adjetiva restritiva, o tipo de mulheres (apenas as que usam roupas que mostram o corpo) e, posteriormente, afirma-se que estas devem ser atacadas. O efeito dado pela declarativa afirmativa pode colaborar para que o entrevistado assuma uma posição de concordância ou de discordância com essa declaração, de imediato, por ela ser bem específica e não ser ambígua.
2) No enunciado b, uma hipótese é levantada. Esse efeito de hipótese pode ser observado tanto a partir do uso da oração subordinada adverbial condicional, quanto a partir das formas verbais no imperfeito do subjuntivo (se soubessem), e do futuro do pretérito (haveria). A hipótese levantada deixa entrever que as mulheres que sofrem estupro não sabem se comportar. Por isso, é possível dizer que, de alguma forma, o enunciado recupera um discurso machista para apresentá-lo ao entrevistado.
3) O uso da vírgula no enunciado b separa duas orações, demarcando onde termina uma condição e onde se inicia uma afirmação hipotética.
4) No predicado verbal "merecem ser atacadas", a forma verbal "merecem", cujo sentido requer um complemento positivo ou negativo (quem merece, merece prêmio ou punição) é completada pelo particípio "ser atacadas". Quem é atacada, é atacada por um agente. Se esse agente pratica uma ação contra alguém que merece, isso lhe tira, em parte, a culpa. Essa é uma leitura possível que confirma a existência de um discurso machista, que põe na mulher a culpa por ser estuprada.
5) A partir dos enunciados elaborados pelo IPEA é possível afirmar que o Instituto parece querer verificar se o entrevistado concorda ou não concorda com o discurso machista corrente na sociedade sobre a violência contra a mulher.


Questão 3:

O texto 02 foi publicado no blog"NegroBelchior" no dia 25 de junho de 2014, vinculado à revista Carta Capital. O blog "Negro Belchior", conforme dispõe em sua janela "sobre o blog" é mantido por Douglas Belchior, professor formado em História na PUC/SP, educador nos cursinhos comunitários da Uneafro-Brasil e militante do movimento negro em SP. "O espaço propõe-se a refletir e discutir temas do cotidiano, analisar coberturas da imprensa, divulgar eventos e ações do movimento negro e movimentos populares".

Sobre a leitura e análise de aspectos linguísticos do texto 02, assinale a única alternativa FALSA.


Questão 4:

O texto 02 foi publicado no blog"NegroBelchior" no dia 25 de junho de 2014, vinculado à revista Carta Capital. O blog "Negro Belchior", conforme dispõe em sua janela "sobre o blog" é mantido por Douglas Belchior, professor formado em História na PUC/SP, educador nos cursinhos comunitários da Uneafro-Brasil e militante do movimento negro em SP. "O espaço propõe-se a refletir e discutir temas do cotidiano, analisar coberturas da imprensa, divulgar eventos e ações do movimento negro e movimentos populares".

Sobre o conteúdo e sobre a linguagem utilizada no texto do Twitter publicado por Luciano Huck, assinale os itens considerados corretos, para depois escolher a alternativa representativa.

1) Luciano Huck, por ser um apresentador famoso, conhecido nacionalmente, deveria cuidar mais do tipo de linguagem que utiliza em seu Twitter, visto que escreve tão informalmente como se estivesse falando. Exemplo: usa "Tá"em vez de "está", "1"em vez de "um" e usa abreviaturas como"q" em vez de "que".
2) A linguagem utilizada por Huck em seu Twitter é perfeitamente adequada a esse suporte. Portanto, não é pelo fato de estar na modalidade escrita que a linguagem deve obedecer à norma culta. Tudo depende da situação de uso.
3) É possível fazer a leitura de que o endereço de e-mail criado para envio de fotos e do motivo para "querer um gringo" é de conteúdo pejorativo, porque expressa a ideia de uma mulher que serve de objeto. Em [email protected], em nível linguístico, é a preposição "para" que dá ideia da finalidade da namorada. No entanto, não é só isso que nos permite ler que há um conteúdo de mau gosto que reduz a mulher à condição de objeto. Todo o contexto de realização da copa do mundo, o combate ao turismo sexual, e todo o histórico de mulher brasileira servir de objeto sexual para estrangeiros, corroboram, certamente, para afirmar que o conteúdo é, de fato, pejorativo.
4) Luciano Huck se dirige às mulheres, inicialmente, com duas perguntas: "Tá no Rio?", "Ta solteira?" Logo depois, faz uma afirmação: "quer 1 principe encantado entre os "gringos"q estão na cidade". Ao fazer as perguntas, ele abre um diálogo com as mulheres, mas depois, tira delas a voz, porque não mais pergunta, mas impõe uma resposta afirmativa que antecipa uma interpretação para o fato de uma mulher solteira estar no Rio de Janeiro no período da copa, deixando entrever que um dos motivos seria querer um gringo.
5) A forma verbal "mande" no imperativo, cujo efeito de sentido é de ordem, transita para os objetos "vídeo e o pq", que são logo seguidos de ponto e vírgula e depois pela conta de e-mail. Embora a mensagem não obedeça aos padrões normalmente sugeridos para a escrita, o enunciado é perfeitamente entendido, pois, na linguagem da internet e, especificamente, do Twitter, é muito comum a economia de explicações detalhadas e até o abandono de regras.


Questão 5:

O texto 02 foi publicado no blog"NegroBelchior" no dia 25 de junho de 2014, vinculado à revista Carta Capital. O blog "Negro Belchior", conforme dispõe em sua janela "sobre o blog" é mantido por Douglas Belchior, professor formado em História na PUC/SP, educador nos cursinhos comunitários da Uneafro-Brasil e militante do movimento negro em SP. "O espaço propõe-se a refletir e discutir temas do cotidiano, analisar coberturas da imprensa, divulgar eventos e ações do movimento negro e movimentos populares".

No terceiro parágrafo do texto 02, informa-se que Huck postou a mesma mensagem no Facebook, a qual recebeu 22 mil curtidas e quase 3 mil compartilhamentos. Sobre a leitura desse conteúdo e de outros relacionados e sobre aspectos linguísticos e de uso da linguagem, assinale a única alternativa FALSA.


Questão 6:

O texto 02 foi publicado no blog"NegroBelchior" no dia 25 de junho de 2014, vinculado à revista Carta Capital. O blog "Negro Belchior", conforme dispõe em sua janela "sobre o blog" é mantido por Douglas Belchior, professor formado em História na PUC/SP, educador nos cursinhos comunitários da Uneafro-Brasil e militante do movimento negro em SP. "O espaço propõe-se a refletir e discutir temas do cotidiano, analisar coberturas da imprensa, divulgar eventos e ações do movimento negro e movimentos populares".

Quanto à leitura e análise de aspectos linguísticos do excerto a seguir, assinale os comentários corretos e depois a alternativa correspondente:

"A grande crítica feita ao conteúdo dos posts é que ele vai na contramão dos esforços de governantes e organizações de direitos humanos, e Luciano Huck não parece preocupado em garantir o fim do turismo sexual no Brasil".

1) A partir da voz passiva, que se realiza em "feita", sem a presença do agente, o autor se descompromete diretamente com o conteúdo veiculado e tampouco assume a responsabilidade pela conteúdo que lançará.
2) A oração subordinada substantiva "ele vai na contramão dos esforços de governantes e organizações de direitos humanos" funciona como se fosse predicado, ou seja, tem função predicativa. Ela explica o sentido de "a grande crítica ao conteúdo dos posts". Se ela funciona como predicativo, tem um valor avaliativo, porque vai dizer como é essa crítica, qualificá-la. Por isso, no conteúdo dessa oração, podemos perceber uma parcialidade, ou opinião, visto que onde há adjetivos, há avaliação e, portanto, opinião.
3) A conjunção somativa "e"aparece por suas vezes no excerto. Pode-se dizer que soma, primeiramente, "de governantes e organizações de direitos humanos",que são sintagmas nominais. No segundo caso, "e" soma elemento de outra natureza, ou seja, soma um enunciado completo, cujo conteúdo também é avaliativo. Assim, vemos "e" funcionando para somar, mas nem sempre somando elementos da mesma natureza. É mais importante, ainda, observar que quando se soma palavras, orações ou enunciados, está se somando, de certa forma, argumentos.
4) A forma verbal "parece" presente no enunciado "Luciano Huck não parece preocupado em garantir o fim do turismo sexual no Brasil", de certa forma, isenta o autor do texto da responsabilidade de afirmar, categoricamente, que Huck não está preocupado. Mesmo assim, seu uso se efetiva como uma manobra, pois "parece", no mínimo, sugere que Huck não está preocupado mesmo preocupado, ou desperta a atenção do leitor para esse fato, permitindo que ele reflita sobre a questão.
5) O uso da voz verbal passiva é apenas uma opção de quem escreve, tanto que você pode dizer "Carlos matou Pedro" - voz ativa, ou "Pedro foi morto por Carlos - voz passiva, que estará dizendo a mesmo coisa, mas com outras palavras. Do ponto de vista dos efeitos de sentidos, não importa quem é o agente ou quem é o paciente. O efeito dos usos é o mesmo.


Questão 7:

O texto 02 foi publicado no blog"NegroBelchior" no dia 25 de junho de 2014, vinculado à revista Carta Capital. O blog "Negro Belchior", conforme dispõe em sua janela "sobre o blog" é mantido por Douglas Belchior, professor formado em História na PUC/SP, educador nos cursinhos comunitários da Uneafro-Brasil e militante do movimento negro em SP. "O espaço propõe-se a refletir e discutir temas do cotidiano, analisar coberturas da imprensa, divulgar eventos e ações do movimento negro e movimentos populares".

Depois do quinto parágrafo, o autor insere no texto uma imagem do perfil do Twitter da presidenta Dilma. Sobre essa inserção e sobre a manifestação da presidenta, assinale a alternativa FALSA.


Questão 8:

Observemos muito bem a imagem inserida no texto que veicula o conteúdo postado por Luciano Huck em seu Facebook, para marcar comentários que dizem respeito a possíveis leituras da imagem e de seu conteúdo geral e da relação que pode ter com outros conteúdos do texto 02. Depois, escolha a alternativa CORRETA.

1) Se observarmos a barra superior da imagem, que corresponde à imagem de uma barra de sitio de internet, veremos que pertence à “globo.com”. Dessa forma, a imagem de Huck é vinculada à imagem da Organizações Globo, o que vem ao encontro do que o autor defende no sétimo parágrafo do texto: “é preciso avaliar o grau de responsabilidade que a Rede Globo tem sobre esse tipo de conteúdo”.
2) Se lermos o endereço eletrônico que está na janela da barra superior, “globo.com/programas/caldeirãodo-huck/Luciano-huck/index.html”, perceberemos que este não é o endereço do Facebook, porque se fosse, a palavra Facebook deveria aparecer no meio desse endereço. Então, observamos dentro de um balão uma mensagem contendo o post de Huck, cuja indicação para de onde vem a voz está apontando para um círculo, com a letra “f” no centro, o que indica, para quem desconhece, o símbolo do Facebook. Assim, é possível deduzir que a imagem não foi colada diretamente do Facebook de Luciano Huck. Portanto, a vinculação de uma fala feita no Facebook à imagem do site da Globo não é gratuita, mas, mais uma vez, confirma o que foi discutido no comentário 1 desta questão.
3) A mensagem que Luciano Huck envia às mulheres solteiras cariocas no Facebook é menos taxativa do que a mensagem que envia no Twitter às possíveis mulheres que visitam o Rio de Janeiro no período da Copa do Mundo. Podemos afirmar isso, porque ele não faz um pré-julgamento das mulheres cariocas como faz das visitantes, quando afirma, categoricamente, que estão no Rio de Janeiro porque querem um príncipe entre os gringos que estão na cidade.
4) A mensagem que Luciano Huck envia às mulheres cariocas no Facebook é repleta de adjetivos. Podemos destacar, então, que “carioca”, “solteira”, “louca”, que tem sentido de ansiosa, desesperada, são avaliações e especificações que indicam a quem a mensagem é dirigida e também que dizem respeito a uma imagem de mulher. Por outro lado, percebemos “encantado” e “sob medida” funcionando como qualificação para os gringos – homens. A partir dessa análise e da proposta que Huck faz às mulheres, é possível dizer que é corrente na sociedade a imagem de uma mulher que vive à caça de homens de homens perfeitos.
5) Pode-se ler que a retomada da velha imagem do príncipe encantado, que vem de outros lugares, aparece de repente, comum nos contos de fada, também simboliza a demarcação de imagens e papéis masculinos e femininos na sociedade em geral.


Questão 9:

O texto 01 é um excerto do relatório que expõe dados da pesquisa intitulada "Tolerância à violência contra as mulheres", realizada pelo IPEA (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada). O IPEA, conforme dispõe em seu sítio institucional, "é uma fundação pública federal vinculada à Secretaria de Assuntos Estratégicos da Presidência da República. Suas atividades de pesquisa fornecem suporte técnico e institucional às ações governamentais para a formulação e reformulação de políticas públicas e programas de desenvolvimento brasileiros".

O texto 02 foi publicado no blog"NegroBelchior" no dia 25 de junho de 2014, vinculado à revista Carta Capital. O blog "Negro Belchior", conforme dispõe em sua janela "sobre o blog" é mantido por Douglas Belchior, professor formado em História na PUC/SP, educador nos cursinhos comunitários da Uneafro-Brasil e militante do movimento negro em SP. "O espaço propõe-se a refletir e discutir temas do cotidiano, analisar coberturas da imprensa, divulgar eventos e ações do movimento negro e movimentos populares".

Sobre os dois textos-base desta prova e sobre as leituras que podem ser feitas a partir dos conteúdos veiculados, e FALSO, afirmar:


Questão 10:

Sabe-se que o Romantismo Brasileiro pode ser divido em três fases ou gerações. Cada uma delas carregando em si características distintas. Pensando nisso e nas características da obra do poeta Álvares de Azevedo, escolha a alternativa correta sobre o poema “Meu Sonho”:

MEU SONHO
Eu
Cavaleiro das armas escuras,
Onde vais pelas trevas impuras
Com a espada sanguenta na mão?
Por que brilham teus olhos ardentes
E gemidos nos lábios frementes
Vertem fogo do teu coração?

Cavaleiro, quem és? o remorso?
Do corcel te debruças no dorso...
E galopa do vale através...
Oh! da estrada acordando as poeiras
Não escutas gritar as caveiras
E morder-te o fantasma nos pés?

Onde vais pelas trevas impuras,
Cavaleiro das armas escuras,
Macilento qual morto na tumba?...
Tu escutas... Na longa montanha
Um tropel teu galope acompanha?
E um clamor de vingança retumba?

Cavaleiro, quem és? – que mistério,
Quem te força da morte no império
Pela noite assombrada a vagar?

O Fantasma
Sou o sonho da tua esperança,
Tua febre que nunca descansas
O delírio que te há de matar!...
AZEVEDO, Álvares de. Lira dos Vinte Anos (1853), São Paulo: Martin Claret, 1999. p. 185.


Páginas: [1] 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15