Vegetação do Mato Grosso do Sul

Mestre em Ciências Humanas (PUC-RJ, 2016)
Graduado em Geografia (UFF, 2009)

As espécies da flora não estão distribuídas ao acaso, mas sim agrupadas em formações vegetais em equilíbrio com o solo, clima, além de contar com a concorrência de ações por parte da sociedade humana. Assim, vegetação é a forma de agrupamento das espécies vegetais em consonância com o ambiente, incluindo a participação da ação do homem na sucessão de seus modos de produção (MARTINELLI, 2010).

No Estado do Mato Grosso do Sul, observamos a presença de três tipos de vegetação nativa que são:

Ocupando a maior parcela do território do Estado do Mato Grosso do Sul, cerca de 61% do Estado (FERREIRA & DRESCH, 2016) o Cerrado apresenta como características a extrema abundância de espécies endêmicas, entretanto, sofre uma excepcional perda de habitat devido o avanço do agronegócio. Do ponto de vista da diversidade biológica, o Cerrado brasileiro é reconhecido como a savana mais rica do mundo, abrigando 11.627 espécies de plantas nativas já catalogadas, segundo dados do ministério do meio ambiente. Existe uma grande diversidade de habitats, que determinam uma notável alternância de espécies entre diferentes fitofisionomias. Cerca de 199 espécies de mamíferos são conhecidas, e a rica fauna compreende cerca de 837 espécies. Os números de peixes (1200 espécies), répteis (180 espécies) e anfíbios (150 espécies) são elevados. O número de peixes endêmicos não é conhecido, porém os valores são bastante altos para anfíbios e répteis: 28% e 17%, respectivamente. De acordo com estimativas recentes, o Cerrado é o refúgio de 13% das borboletas, 35% das abelhas e 23% dos cupins dos trópicos (MMA, 2016).

Pantanal brasileiro. Foto: Filipe Frazão / Shutterstock.com

O Complexo do Pantanal, ou simplesmente Pantanal, é considerado uma das maiores extensões úmidas contínuas do planeta. Este bioma continental é considerado o de menor extensão territorial no Brasil, algo em torno de 150.000 Km², entretanto, este dado não diminui em nada a sua riqueza com relação à flora e à fauna. Em seu espaço territorial o bioma, que é uma planície aluvial, é influenciado por rios que drenam a bacia do Alto Paraguai. É importante ressaltar que o Pantanal sofre influência direta de três importantes biomas brasileiros: a Amazônia, o Cerrado e a Mata Atlântica, além do Chaco, nome dado ao Pantanal localizado no norte do Paraguai e leste da Bolívia (MMA, 2015).

Embora ocupe apenas a porção do território do Estado do Mato Grosso do Sul, as áreas de Floresta Atlântica também se fazem presente no Estado, principalmente com a presença da vegetação conhecida por Floresta Estacional Semidecidual. Essas áreas de floresta são formações típicas de ambientes menos úmidos do que aqueles onde se desenvolve a floresta ombrófila densa (FILHO, 2009).

Referencias:

BRASIL. Ministério do Meio Ambiente. Cadastro Nacional de Unidades de Conservação - CNUC (2010). Disponível em: http://www.mma.gov.br/areas-protegidas/cadastro-nacional-de-ucs. Acesso em 07 de fevereiro de 2018.

FILHO, J. C. A. Floresta Estacional Semidecidual. 2009. Disponível em: http://www.agencia.cnptia.embrapa.br/gestor/territorio_mata_sul_pernambucana/arvore/CONT000gt7eon7l02wx7ha087apz2x2zjco4.html. Acesso em 07 de fevereiro de 2018.

IBGE. Mapa de Biomas e de Vegetação. 2004. Disponível em: http://www.ibge.gov.br/home/presidencia/noticias/21052004biomashtml.shtm. Acesso em 07 de fevereiro de 2018.

Arquivado em: Clima, Mato Grosso do Sul