Lençóis maranhenses

Mestre em Ecologia (UERJ, 2016)
Graduada em Ciências Biológicas (UFF, 2013)

Os lençóis maranhenses, um dos principais pontos turísticos do estado do Maranhão, no Brasil, faz parte do Parque Nacional dos Lençóis que tem uma área de 156,5 mil hectares. A paisagem é composta principalmente por dunas de areia branca, que lembram lençóis jogados na cama, formadas pela força dos ventos que constantemente mudam de posição alterando a aparência da região. A época da chuva vai de janeiro até maio, e a época seca começa em junho e vai até dezembro. A temperatura média da região é de 28° C.

Por causa da falta de chuva, as lagoas podem ser encontradas secas nos meses que vão de outubro até fevereiro. Durante o período mais seco, o parque se transforma em um verdadeiro deserto e com as chuvas que ocorrem no final no primeiro semestre do ano, forma-se uma incrível sequência de dunas e lagoas. O final do primeiro semestre do ano, além da formação das lagoas, características da região, devido ao acúmulo da água da chuva, também marca o início da alta temporada no Maranhão, época em que o turismo é mais rentável.

Vista aérea dos lençóis maranhenses. Foto: T photography / Shutterstock.com

O parque está situado no bioma Cerrado, mas sofre influência dos biomas Amazônia e Mata Atlântica, contendo espécies de animais que transitam entre estes três biomas do Brasil. O Parque abriga ecossistemas diversos e frágeis, como restingas, manguezais e um campo de dunas que ocupa dois terços da unidade de conservação.

A flora dos lençóis maranhenses tem espécies de ampla utilidade, desde aquelas com propriedades medicinais, passando por plantas têxteis, taníferas, ceríferas e produtoras de óleo, além de madeiras úteis. Entre as espécies mais comuns encontram-se: o capim-da-areia (Panicum racemosum), o capotiraguá (Iresine portulacoides) que se desenvolvem nas áreas banhadas pela água do mar, o alecrim-da-praia (Hybanthus ipecacunha), pimenteira (Cardia curassanica), capim paratuá (Spartina alternifolia), campainha braca (Ipomea acetosaefolia), acariçoba (Hidrocotyle umbellata), carrapicho-da-praia ou espinho-de-roseta (Acicarpha spathuslata), cardo-da-prais (Cereus pernambucencis), comandaiba (Sophora tomentosa), grama-da-praia (Sporobolus virginicus), feijão-da-praia (Canavalia obtusifolia).

A grande maioria das espécies, tanto de aves quanto de mamíferos que habitam a região dos lençóis apresenta ampla distribuição geográfica, são relativamente comuns e têm baixa especificidade de habitat, tendo, portanto, um baixo grau de vulnerabilidade à extinção. Algumas espécies são consideradas ameaçadas de extinção pelos órgãos ambientais brasileiros como é o caso da ave guará (Eudocinus ruber), da lontra (Lontra longicaudis), do gato-do-mato/pintadinho (Leopardus tigrinus) e do peixe-boi-marinho (Trichechus manatus). Na área dos manguezais encontram-se animais como o jacaré-de-óculos, o veado-mateiro e a paca.

O parque nacional dos Lençóis Maranhenses é frequentado o ano inteiro por turistas. Foto: T photography / Shutterstock.com

Grande parte dos solos da região litorânea dos lençóis é considerada sem aptidão agrícola. Por outro lado, algumas atividades extrativistas são exercidas dentro da área do Parque como a exploração de palmeiras de buriti, babaçu, tucum e carnaúba, das quais se extraem, principalmente, palha, cera, amêndoa e coco. Há ainda extrativismo de castanha de caju e de madeira para a produção de carvão e lenha.

Referências Bibliográficas:

ARAYA, Maurício. 2015. Lençóis Maranhenses, MA: quando ir, como chegar, o que visitar. http://g1.globo.com/ma/maranhao/noticia/2015/07/lencois-maranhenses-ma-quando-ir-como-chegar-o-que-visitar.html

PARQUE LENÇOIS. Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses. https://parquelencois.com.br/

POMPÊO, Marcelo L. M. & MOSCHINI-CARLOS, Viviane. http://ecologia.ib.usp.br/portal/index.php?option=com_content&view=article&id=71&Itemid=410

WIKIPARQUES. Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses. < http://www.wikiparques.org/wiki/Parque_Nacional_dos_Len%C3%A7%C3%B3is_Maranhenses>

Arquivado em: Hidrografia, Maranhão