Igapó

Recebe o nome de igapó uma vegetação submersa típica da floresta amazônica, localizada em solos permanentemente alagados, estreitos e baixos próximos aos rios. Em outras palavras, o igapó é uma mata que cresce dentro da água. Este tipo de vegetação é classificado como floresta densa tropical com dossel (estrato superior) uniforme. Ela localiza-se ainda próximo a igarapés, pequenos riachos que cortam a floresta. Sua configuração a torna de difícil acesso, com as árvores baixas, emaranhados de cipós entre as árvores e plantas aquáticas.

Igapó na Amazônia. Foto: Dr. Morley Read / Shutterstock.com

Igapó na Amazônia. Foto: Dr. Morley Read / Shutterstock.com

Nos igapós, a temperatura é amena, resultado da grande quantidade de sombra proporcionada pela vegetação fechada, que também é alvo de constantes ventos. Apenas alguns raios solares conseguem penetrar por entre a mata e alcançar o solo alagado, que permanece assim durante cerca de seis meses por ano. Seu solo e a água possuem uma composição bastante ácida devido à grande quantidade de matéria orgânica em transformação presente em sua área. Via de regra, o solo arenoso e a "água preta" são ricos em ácido húmico, e além da profusão de arbustos e cipós destacam-se as muitas raízes escoras e respiratórias, aquelas que se projetam acima do solo, além de plantas aquáticas, como a vitória-régia (que chegam a ter 4 metros de diâmetro, e estão associadas aos rios de água branca).

Além da vitória-régia, compõem a flora dos igapós o mucuri, a bromélia, a orquídea e a sumaúma, altamente adaptadas para este terreno alagado, além de incontáveis epífitas, musgos e hepáticas. As árvores são baixas, atingindo no máximo 20 metros, sendo que na maioria alcançam apenas 4 ou 5 metros, e estão dispostas sobre terraços, raramente perdendo suas folhas e assumindo um comprimento largo, de modo a captar a maior quantidade possível de luz solar. Entre as árvores mais típicas estão o tachi, o buriti e a mamorana.

Mesmo com a alta acidez da água, há uma impressionante explosão de vida estabelecida nos igapós. Predominam no terreno várias espécies de aves, cada uma com seu próprio som distinto. Entre os animais terrestres, destacam-se os micos, figuras permanentes nos galhos das árvores. Nesse ambiente a água é rasa e costuma ser o habitat de dois dos peixes mais populares dos cardápios dos restaurantes de Manaus, o tambaqui, que se alimenta de frutas caídas das árvores, e o pirarucu, um peixe de escamas que pode alcançar mais de dois metros de comprimento. A diversidade de espécies do igapó pode ser considerada intermediária entre as áreas de várzea e de terra firme, com cerca de 130 espécies arbóreas por hectare.

Bibliografia:
Um dia em rios, matas, igapós e igarapés. Disponível em: < http://www.brasilsabor.com.br/por/roteiros/artigo/9 >. Acesso em: 25 nov. 2012.

Arquivado em: Biomas, Meio Ambiente