Geografia do Chile

Por Thais Pacievitch
O Chile está situado no sudoeste do continente sul americano, sua costa é banhada pelo oceano pacífico, a leste faz fronteira com a Argentina e, no extremo norte, com Bolívia e Peru.

Cordilheira dos Andes. Foto: Jorge Morales Piderit [Public domain], via Wikimedia Commons

Cordilheira dos Andes. Foto: Jorge Morales Piderit [Public domain], via Wikimedia Commons

O território chileno se caracteriza por ter um relevo acidentado, montanhoso e está distribuído ao longo de uma área vulcânica (onde podem ocorrer tremores de terra e terremotos - notavelmente um ocorrido em 1960, com 9,5 graus, o maior já registrado na Terra, e outro de 8,8 em fevereiro de 2010.). A largura daquele país oscila entre 440 e 90 km. Não mais do que 20% do território são de planícies. Lá existem 4 tipos de relevos, que se desenvolveram no sentido norte-sul, estes são: planícies costeiras ou litorais, a Cordilheira da Costa, depressão intermediária e a Cordilheira dos Andes (dos 9000 km da Cordilheira dos Andes, 4600 km estão localizados no território chileno e sua altitude ultrapassa os 6000 m na região norte).

Devido ao fato do território chileno ser muito estreito, os rios não cruzam longas distâncias, suas correntezas normalmente vão do leste para o oeste e não são navegáveis. Suas águas são importantes para a agricultura, já que permitem a irrigação do solo. Os principais rios (cuja extensão, em kilometros, está entre parênteses), que se destacam por sua importância agrícola, são: o Elqui (170), Aconcágua (142), Maipo (250), Mapocho (120) e Maule (240). Estes rios possuem um grande potencial hidroelétrico, embora não sejam totalmente aproveitados para este fim.

O Chile, graças a sua extensão, é um país com grande variação climática, de maneira geral, podemos dizer que existem três grandes zonas climáticas. No norte predomina o clima desértico, caracterizado por poucas precipitações. Nas zonas central e sul, predomina o clima temperado, onde se observam claramente as quatro estações do ano. Finalmente, na medida em que avançamos para o sul, as chuvas aumentam e o frio, no extremo sul, permanecem o ano todo.

Graças à diversidade de climas, o Chile apresenta também grande diversidade de plantas. Na região norte a vegetação é escassa e se destacam arbustos e grande variedade de cactos. Na medida em que se avança para o sul, o clima se torna mais úmido, a vegetação fica mais densa e diversificada até culminar, no extremo sul, com florestas de carvalhos e araucárias, dentre outros tipos de árvores. Na porção antártica do território chileno só são encontrados musgos e liquens.

A fauna, feito a flora, também é muito variada, porém menos abundante, os mamíferos que mais se destacam são: puma, guanaco, viunha, lhama, huemul e o pudú (estes dois últimos são cervídeos, sendo que o pudú é o menor do planeta, possui 36 cm de comprimento). No litoral sul do Chile podemos encontrar leões marinhos, focas e, nas águas mais austrais, baleias. No pólo sul, onde o Chile tem um território, há muitos pingüins, dentre os quais destacamos o imperial pela sua beleza.