Vegetação da Europa

Por Marilia Araujo
A Europa é um continente de solo e clima variados. Em razão disso há uma diversidade vegetacional contundente. Abaixo um breve comentário sobre cada uma delas:

- Tundra: este tipo de vegetação só acontece quando há o degelo, pois o produto deste é o material orgânico a partir do qual surgirá a tundra. Como o período de degelo é curto relativamente, as espécies que são características deste tipo de vegetação precisam ser reprodutivamente rápidas e fortes o suficiente para suportar baixas temperaturas ou outras intempéries climáticas. A exemplo: líquens, musgos, ervas e arbustos baixos (já que o próprio clima não facilita o crescimento exponencial da vegetação).

- Floresta Temperada: este tipo de vegetação já foi quase predominante na Europa. Mas hoje devido a grande devastação pela ação humana, está restrito à alguns poucos parques e reservas florestais. Uma característica deste tipo de vegetação é que as folhas das árvores caem com frequência e com isso nutrem o solo que se torna rico nutricionalmente. Porém a vegetação não é de um tipo só, as plantas componentes da floresta conífera variam desde coníferas à árvores de folhas largas ou arbustos e até herbáceas.

- Floresta Conífera: este tipo de vegetação é também conhecido como taiga ou floresta boreal. Os principais vegetais componentes são os pinheiros e abetos. Este tipo de floresta leva muito tempo para se desenvolver até o estágio adulto dos vegetais. Como a temperatura é muito baixa nesses lugares, os vegetais acabaram por desenvolver adaptações para que pudessem suportar essas baixas temperaturas e a pouca incidência de luz devido ao alto tamanho das árvores.

- Estepe: este tipo de vegetação é representado por plantas herbáceas e gramíneas, é caracterizado por apresentar solos mais férteis. Este tipo é mais encontrado na zona temperada continental da Europa.

- Vegetação mediterrânea: a maior concentração deste tipo de vegetação está localizada no sul da Europa, no entanto já não existe quase exemplares originais porque quase toda a área foi substituída por plantações de oliveiras. Basciamente encontramos plantas arbóreas, arbustos e/ou herbáceas. Entretanto quando se trata do sul europeu, especificamente, temos o grupo das xerófilas representando esse quinhão vegetativo. E há uma explicação para esse tipo específico: são resistentes a longos períodos de seca, de estiagem, de climas extremos.