Relevo do Maranhão

Graduado em Geografia (UFG, 2017)

O relevo do território maranhense, de forma geral, se caracteriza por possuir uma baixa cota altimétrica – com elevações que variam de 0 a 800 metros – e é composto por 60% de planícies e 40% de áreas planálticas.

As maiores altitudes localizadas no Estado está no topo da Chapada das Mangabeiras (800 metros), e as menores altitudes estão na região litorânea maranhense, o que representa um aclive no sentido Norte-Sul na composição topográfica do Maranhão.

O relevo do Maranhão ao longo de sua constituição sofreu um longo processo erosivo a partir das atividades dos agentes externos, que modelou grande parte da superfície terrestre do Estado. Dos agentes erosivos destaca-se o fator hidrológico como fator modelador de grande parte do relevo maranhense.

Sua formação geológica é caracterizada pela presença de bacias sedimentares, formadas a partir de deposições de sedimentos ao longo das eras Paleozoica, Mesozoica e Cenozoica, compondo 90% do relevo do Maranhão e 10% de formação cristalina do período pré-cambriano.

Mapa do relevo maranhense. Fonte: Embrapa.

A classificação do relevo do Maranhão

O relevo do Maranhão tem duas unidades morfoestruturais predominantes em seu interior: As Planícies e os Planaltos.

As planícies maranhenses, que compõem grande parte do relevo do Estado, possui diversas subdivisões: Planície Costeira, Planície Litorânea e Planície Fluvial.

Os planaltos maranhenses apresentam as seguintes subdivisões: Pediplano Central, Planalto Oriental e Planalto Ocidental.

As planícies maranhenses

O Maranhão tem uma extensa planície, sobretudo na região norte, que corresponde aos terrenos com baixas altitudes que marcam a paisagem do litoral maranhense e acompanham os vales dos rios se estendendo até o interior do Estado.

A Planície Litorânea foi modelada por agentes e processos marinhos e fluviomarinhos que deu origem às praias, mangues, lagunas e falésias. Nesse tipo de Planície destacam-se o Litoral Ocidental, o Golfão Maranhense e o Litoral Ocidental, que recebem anualmente muitos turistas do país e movimentam a economia do Estado.

A área do Golfão Maranhense é uma das mais importantes da zona litorânea do Maranhão, por ser desaguadoura dos maiores rios do Estado, e por abrigar a região metropolitana de São Luís que apresenta uma paisagem dinâmica e diversa por apresentar potencialidades para atividades humanas e circulação de riquezas.

A Planície Costeira corresponde à uma zona emersa que fica próxima à Planície Litorânea, sofrendo influência do Oceano Atlântico que traz a umidade e a salinidade pelo vento originando três subsistemas ambientais: costa de dunas e restingas e a baixada maranhense.

É nessa classificação de planície que encontramos os Lençóis Maranhenses, um dos destinos mais visitados do Brasil. Sua paisagem é marcada por lagunas, dunas e praias que colocam esse ponto turístico como um dos mais belos do país.

Vista aérea dos lençóis maranhenses. Foto: T photography / Shutterstock.com

As Planícies Fluviais, ocupam grandes extensões do relevo maranhense, se localizando ao longo da planície litorânea e avançando em direção ao interior do Estado a partir do curso de rios como Tocantins, Paranaíba e Itapecuru. Sua paisagem apresenta costa de dunas, restingas e a presença de áreas de várzea e inundação na Baixada Maranhense.

Os planaltos maranhenses

O planalto maranhense engloba as áreas mais elevadas da região centro-sul do Estado, com altitudes que variam entre 200 e 800 metros.

O Pediplano Central está localizado na área norte do Planalto Maranhense. Sua caracterização é marcada por estruturas planálticas cortadas por rios que formam topos tabulares que originam colinas de alta declividade. Nesse tipo de planalto estão as Chapadas das Mesas e as Serras Cinta e Negra, que podem atingir uma altitude de até 686 metros.

Nessa unidade de relevo destaca-se a presença de rios de cachoeira que contém um grande potencial turístico para a população local.

Chapada das Mesas, área de conservação do Cerrado no Maranhão. Foto: Marcelo Alex / Shutterstock.com

O Planalto Ocidental apresenta um conjunto de formas estruturais presentes no Oeste Maranhense, com altitudes máximas de 350 metros. Nessa unidade de relevo estão as Serras do Gurupi, Tiracambu e da Desordem.

O Planalto Oriental é o conjunto de formas estruturais presentes no Leste Maranhense que se estende até a região Nordeste do Estado. Sua composição planáltica apresentam vales e colinas com média e alta declividade. Sua altitude máxima é de 460 metros de elevação.

Leia também:

Referências:

http://lsie.unb.br/ugb/sinageo/6/11/476.pdf

https://pt.slideshare.net/pedrowallacez/geomorfologia-do-maranho

https://www.mma.gov.br/estruturas/sqa_sigercom/_arquivos/ma_erosao.pdf

Arquivado em: Maranhão