Vegetação da África

Mestrado em Geografia (UFSC, 2015)
Graduação em Geografia (UFSC, 2012)

O clima é um dos principais fatores de formação dos diferentes tipos de vegetação, e a África é um dos maiores continentes da Terra, possuindo uma orientação latitudinal (no sentido sul-norte). Por isso, tendo seu território atravessado pelas três principais linhas definidoras do clima – Equador, trópico de Câncer e trópico de Capricórnio –, a África apresenta uma grande variedade de formações vegetais.

O litoral norte da África, banhado pelo mar Mediterrâneo, e o sul da África do Sul, com verões quentes e secos e invernos úmidos, apresentam a única vegetação de clima mesotérmico (subtropical). O complexo arbustivo mediterrâneo caracteriza-se por ter um grande número de arbustos lenhosos, perenifólios (sempre verdes), e esclerofilos, com folhas e caule duros, de modo a reter a umidade e evitar a transpiração. Esse complexo arbustivo também é formado por bosques de oliveiras, sobreiros e pinheiros, em associação com gramíneas.

Os climas secos (desértico e semidesértico) ocupam grande parte do norte e uma faixa no litoral sudoeste da África. Sendo assim, as vegetações associadas a esses climas também ocupam essas faixas. A vegetação dos desertos varia de quase nenhuma, nas áreas de climas árido, aos numerosos arbustos xerófitos adaptados ao clima seco e quente, nas áreas de transição para climas mais úmidos. Esses arbustos xerófitos apresentam raízes profundas a capilarizadas, aumentando a área de absorção da umidade, e caules e folhas duros e cobertos por cera ou pelos, para evitar a transpiração da planta. Encontra-se também plantas de caule suculento, como os cactos, que armazenam água nos seus caules. As pradarias ocupam as áreas altas no leste da África do Sul. Nessa área, existem grandes campos de gramíneas com árvores ocupando o leito dos rios.

As vegetações de climas tropicais dominam as regiões central e sul da África. A savana tropical é a formação vegetal que cobre a maior parte do continente africano, indo do sul do deserto do Saara até o sul da África do Sul, além do oeste de Madagascar, e fazem a transição entre a floresta tropical e os desertos africanos. Apresentam grandes campos cobertos por gramíneas, em combinação com árvores esparsas, que apresentam copas planas. Em áreas mais secas, as gramíneas crescem em forma de moita e as árvores desaparecem. A floresta tropical é encontrada principalmente no litoral centro oeste da África, com um pequeno enclave na região da Costa do Marfim e no litoral leste de Madagascar. O clima úmido e quente favorece a grande biodiversidade encontrada nessas áreas. Essas florestas apresentam um dossel, conjunto da copa das árvores, em três níveis: superior, de 50 a 60 metros, médio, de 20 a 40 metros, e inferior, de cinco a 15 metros. A floresta tropical sazonal e seu complexo arbustivo é encontrada no centro da África, um local com clima de savana tropical com duas estações – uma seca, maior, e outra chuvosa, menor. Apresenta árvores retorcidas de pequeno e médio porte, inferiores a 15 metros, com um dossel descontínuo, passando gradualmente para campos tipo pomares, com cobertura de gramíneas.

As vegetações de climas frios (microtérmicos e de altitude) são encontradas nas partes mais altas do relevo africano. A floresta de coníferas domina o planalto da Etiópia, a cordilheira do Atlas, no norte africano, e enclaves de grandes altitudes estão presentes no centro do continente e na parte central de Madagascar. Observa-se pinheiros de grande porte e pouca variação vegetal nessas florestas. Por fim, no alto das montanhas encontramos a tundra alpina, com musgos e herbáceas cobrindo o solo, e raros arbustos lenhosos.

Fontes:
CHRISTOPHERSON, Robert W. Geossistemas – Uma introdução à geografia física. Tradução: Francisco Eliseu Aquino ... (et al.). Porto Alegre: Bookman, 7ª edição, 2012. Francisco Mendonça

Townsend, C. R.; Begon, M. & Harper, J. L. 2010. Fundamentos em Ecologia. 3ed. Porto Alegre: Artmed.

 

Arquivado em: África