Vegetação da Oceania

Mestrado em Geografia (UFSC, 2015)
Graduação em Geografia (UFSC, 2012)

A vegetação tem como principal fator de formação o clima. A Oceania possui territórios localizados no hemisfério sul entre a linha do Equador e o círculo polar Antártico, além de ter uma célula de alta pressão subtropical sobre o território australiano, que forma um deserto no interior desse país. Podemos observar que a Oceania apresenta diferentes tipos de clima, o que faz com que esse continente apresente variados tipos de formações vegetais. A Oceania pode ser dividida entre duas porções: continental, sendo a Austrália o único país; e insular com algumas ilhas grandes, como Papua Nova Guiné e Nova Zelândia, e inúmeras pequenas ilhas.

As vegetações de climas tropicais dominam as ilhas, salvo a Nova Zelândia, além de grande parte do território australiano. A vegetação de floresta tropical ocupa a porção insular do continente e uma pequena faixa do litoral nordeste da Austrália. O clima quente e úmido dessas florestas favorece o aparecimento de uma grande biodiversidade, e de uma densa cobertura vegetal. O dossel na floresta tropical é contínuo e dividido em três níveis: superior, entre 50 e 60 metros, médio (o mais denso), entre 20 e 40 metros, e o inferior, entre cinco e 15 metros. O norte da Austrália é dominado pela floresta tropical sazonal e o complexo arbustivo com árvores de pequeno e médio portes, com não mais do que 15 metros, possuindo galhos em forma de guarda-chuva virado de cabeça para baixo, além de arbustos xerófitos, adaptados ao clima seco. A savana tropical ocupa a parte periférica do deserto australiano, que fica no centro do país, e faz a transição entre o deserto e climas mais úmidos. Apresenta grandes campos de gramíneas, com árvores esparsas e de copas achatadas. Nas áreas mais secas, as gramíneas crescem em moitas, deixando o resto do solo descoberto.

Os climas mesotérmicos (subtropicais) são encontrados no litoral sul e oeste da Austrália e na Nova Zelândia, salvo o centro leste do litoral neozelandês. O litoral sul e grande parte do litoral leste da Austrália são cobertos pela vegetação de complexo arbustivo mediterrâneo. Arbustos lenhosos adaptados aos verões secos, folhas e caules “duros”, com entre um e dois metros de altura, e ramos retorcidos, dominam essa paisagem em conjunto com bosques e gramíneas. O leste da Austrália apresenta pequenos enclaves de floresta temperada, vegetação que domina quase toda a Nova Zelândia. A floresta temperada apresenta poucas espécies vegetais, sendo uma mistura de grandes pinheiros e árvores latifoliadas, com folhas largas. Essas florestas, junto com suas correlatas norte americanas, são os lares das maiores árvores do mundo.

Os climas secos (árido e semiárido) são encontrados no centro da Austrália e no litoral centro leste da Nova Zelândia. A vegetação desértica varia de quase nenhuma cobertura vegetal a arbustos xerófitos, adaptados à seca, e plantas de caule suculento, como os cactos. Entre as adaptações encontramos cascos duros e folhas cobertas por cera ou pelos, para evitar a transpiração, e raízes profundas e fasciculadas, para aumentar a absorção de água. O litoral leste da Nova Zelândia é coberto por campos de latitudes médias. Grandes campos de gramíneas com arvores latifoliadas nos cursos de água.

A tundra alpina é encontrada no topo das montanhas na Nova Zelândia e Papua Nova Guiné. Caracteriza-se por ser uma vegetação rasteira de herbáceas, musgos, líquens e pequenos arbustos lenhosos. A neve, o frio e o vento constante impedem o aparecimento de espécies vegetais mais desenvolvidas.

Fontes:
CHRISTOPHERSON, Robert W. Geossistemas – Uma introdução à geografia física. Tradução: Francisco Eliseu Aquino ... (et al.). Porto Alegre: Bookman, 7ª edição, 2012. Francisco Mendonça

Townsend, C. R.; Begon, M. & Harper, J. L. 2010. Fundamentos em Ecologia. 3ed. Porto Alegre: Artmed.

Arquivado em: Oceania