Guerra por procuração (Proxy War)

Mestrado em História (UDESC, 2012)
Graduação em História (UDESC, 2009)

As Guerras por procuração (ou proxy war) são conflitos armados em territórios que não são os territórios dos países que estão em conflitos, usando terceiros para desempenhar esse papel, conhecidos como intermediários ou substitutos. É um estilo de guerra que foi muito utilizado depois da Primeira Guerra mundial, ou seja, um estilo de guerra desenvolvido no século XX. A guerra de procuração foi mais utilizada durante a Guerra Fria, quando os Estados Unidos e a União Soviética financiaram uma série de conflitos por todo o globo.

Uma das primeiras guerras de procuração mais conhecidas foi a Guerra Civil Espanhola que aconteceu na Espanha entre os anos de 1936 até 1939. Nitidamente ocorreram disputas entre o comunismo e o fascismo, tendo nos apoiadores dos Republicanos a União Soviética e apoiando os falangistas a Alemanha e a Itália. Ocorreram uma série de testes de estratégias e armamentos tanto pelos alemães e italianos quanto pelos russos, que foram empregados posteriormente na Segunda Guerra Mundial. Nesta disputa os falangistas, nacionalistas venceram impondo uma ditadura fascista no país.

Durante a guerra fria, as duas principais potências mundiais tinham projetos de mundo completamente diferentes, os Estados Unidos defendiam o capitalismo e o liberalismo e a União Soviética defendia o socialismo e o comunismo. Nesta disputa no pós-Segunda Guerra Mundial, as potências usaram de variadas formas para financiar conflitos por todo o globo levando as suas ideologias, por meio de patrocínio, causando destruição de diversos países na segunda metade do século XX. Os grupos intermediários das guerras impediam que esses países se confrontassem diretamente, pois um confronto direto entre as potências poderia ocasionar em uma guerra nuclear

A guerra civil grega que ocorreu entre 1946-1949 foi o primeiro conflito da Guerra Fria, sendo a monarquia grega apoiada pela Inglaterra e pelos EUA que lutavam contra os comunistas, que foram apoiados pela URSS, pela Albânia, pela Bulgária e pela Iugoslávia. O país ficou assolado com o conflito, tendo como vencidos o grupo dos comunistas fazendo com que a relação com os países dos balcãs e com os russos fosse reduzida, levando a Grécia a aderir à OTAN como resultado da vitória dos apoiadores da monarquia grega.

Após a divisão da Alemanha entre Oriental e Ocidental em 1961, com a construção do muro cada parte da Alemanha ficou como intermediária das potências. Entre 1968 e 1989 ocorreram vários ataques com bomba e espionagem à Alemanha Ocidental promovidas pela Fração do Exército Vermelho (RAF) da Alemanha Oriental, financiada diretamente pela URSS.

Outros Conflitos ocorreram na África e na Ásia podem ser vistos na tabela abaixo:

Guerra Fria
URSS EUA
Guerra da Coreia/ 1950-1953 Coreia do Norte, China Coreia do Sul, Nações Unidas
Guerra do Vietnã/ 1955-1975 Vietnã do Norte, China Vietnã do Sul, Coreia do Sul, Austrália e Tailândia
Guerra Civil Angolana / 1975-1991, 1992-1994 e 1998-2002 Movimento Popular de Libertação de Angola, Cuba, República Popular do Congo, Organização do Povo do Sudeste Africano, Moçambique, Tanzânia, Portugal, Alemanha Oriental União Nacional para Independência Total de Angola, Frente Nacional de Libertação de Angola, Frente para Libertação para o Enclave de Cabinda, África do Sul, Zaire (1975), China e Zâmbia
Guerra de desestabilização de Moçambique /1975-1992 Zimbabwe, Tanzânia (Rodésia), África do Sul
Guerra Afeganistão 1979-1989 Exército Vermelho (Russo) Mujahidin

A Guerra Civil Libanesa que aconteceu entre 1975 e 1990, foi um dos poucos conflitos que não teve a participação da União Soviética e dos Estados Unidos, tendo na Síria e Israel como os principais financiadores. Esta guerra deteriorou o Líbano e estimasse que morreram entre 120 mil a 150 mil pessoas.

A guerra por procuração mais emblemática no pós-Guerra Fria foi a Segunda Guerra do Congo que ocorreu entre aos anos de 1998 a 2003 quando Governos da República Democrática do Congo, Uganda e Ruanda utilizaram grupos menores e irregulares para lutarem por território. Essa guerra movimentou oito países africanos e matou entre 2,7 e 5,4 milhões de pessoas.

As guerras por procuração se reinventaram ao longo dos anos promovendo avanços para os países que financiaram e venceram e retrocesso aos territórios onde as guerras ocorreram.

Referências:

HOBSBAWM, E. J. Era dos extremos: o breve século XX : 1914 - 1991. 2. ed. São Paulo: Companhia ds Letras, 1995

Arquivado em: Idade Contemporânea