Chá Verde

A princípio disseminado especialmente na China e no Japão, o chá verde original é preparado com a erva conhecida como Camellia sinensis. Suas folhas abrigam um alto teor de substâncias antioxidantes – detentoras do poder de lutar contra a invasão dos radicais livres -, apresentando também caroteno, vitaminas B1, B2, K, bem como a C e a E, as quais contribuem para manter o organismo jovem.

Este chá, igualmente portador de manganês, potássio e ácido fólico, passa por uma reação química de baixa oxidação em sua elaboração, daí ser de cor verde, preservando sua coloração inicial. Com a popularização desta bebida, muitas ervas similares são distribuídas como chá verde, mas a original é unicamente a extraída da Camellia sinensis.

Muitos dos benefícios do chá verde provêm de outra substância importante que o compõe, o tanino, responsável por reduzir a taxa do colesterol ruim, o LDL, e pelo poder de fortalecer veias e artérias. Como consequência disso, evita-se a ocorrência de enfermidades do coração e do sistema circulatório. Outros elementos presentes no chá verde, os bioflavonóides e as catequinas, impedem que mutações celulares provoquem a incidência de tumores.

Além de ser ótimo para a saúde, precavendo o corpo físico do aparecimento de doenças como o câncer, problemas respiratórios de natureza alérgica, obesidade, baixa imunidade, altas taxas de colesterol, envelhecimento precoce, este líquido também beneficia a pele, evitando o aparecimento das temíveis espinhas e das mais variadas alergias, assim como detém elementos próprios para a assepsia de dermes oleosas.

Recentemente o chá verde se difundiu pelo Ocidente, depois que uma onda de modismos provindos do Oriente invadiram esta região. O fato de possuir um potencial antioxidante também contribuiu para sua adoção pelos ocidentais. Inicialmente produzida na China, esta bebida foi exportada para o Japão por meio de monges que circulavam entre os dois países.

O chá verde se tornou muito popular entre os japoneses, o único a se disseminar tão amplamente neste país. Seu uso transcendeu o consumo dos próprios refrigerantes e das bebidas portadoras de álcool. Posteriormente ele se espalhou por outras nações asiáticas, até mesmo nas que se consagraram como redutos do chá preto, entre elas a Índia e o Ceilão.

No Brasil esta bebida desembarcou graças ao alto teor de imigrantes japoneses neste país. Ele passou a ser cultivado na região sudeste, especialmente em São Paulo. Aí ele ganhou ares diferentes, seguindo a tendência sincretista brasileira. Daí ser normal vender-se misturas de plantas, englobando o mate, intituladas como chá verde, pois a expressão ‘chá’ é muito comum nestas terras, estendendo seu sentido a qualquer bebida obtida por infusão.

Seu preparo requer particularidades distintas das apresentadas pelos chás convencionais. A água utilizada não deve ser fervida, senão as folhas deste chá podem ser cozidas e revelar um sabor amargo em seu consumo no líquido verde. O período máximo de infusão não pode transcender os três minutos.

Fontes:
http://pt.wikipedia.org/wiki/Chá_verde
http://belezaesaude.dae.com.br/cha-verde/
http://belezaesaude.dae.com.br/antioxidantes/

AVISO LEGAL: As informações disponibilizadas nesta página devem apenas ser utilizadas para fins informacionais, não podendo, jamais, serem utilizadas em substituição a um diagnóstico médico por um profissional habilitado. Os autores deste site se eximem de qualquer responsabilidade legal advinda da má utilização das informações aqui publicadas.
Arquivado em: Medicina Alternativa