Ácido Úrico

Por Douglas Madeira Fernandes
O ácido úrico é um composto orgânico que possui em sua estrutura carbono, nitrogênio, oxigênio e hidrogênio. Sua formula química é representada por  C 5H 4N 4O 3.

No organismo dos seres humanos é encontrado em pequenas doses na urina sendo uma de suas vias de eliminação do corpo.

Seu produto de excreção é a uréia que possui alto nível de nitrogênio e por isso muito tóxico para os seres humanos. Alguns animais como as aves também produzem ácido úrico e excretam a uréia na forma de fezes com alto teor de nitrogênio motivo pelo qual torna o guano (fezes de morcegos) tão valioso para a indústria de fertilizantes e na agricultura.

Para ser considerado causador de danos aos seres humanos deve estar em altas quantidades no sangue, seus níveis normais são de 3,6 até 8,3mg/dL, níveis considerados pela Associação Médica Americana. Em vegetarianos os níveis são bem menores ja que são produto do metabolismo das purinas (proteínas, encontradas principalmente na carne).

Saber os níveis de tolerância do ácido úrico no organismo é fundamental para prevenção de doenças por ele causadas. Também é necessário entender como ocorrem as doenças para possibilitar tratamento adequado. Não apenas níveis altos do ácido úrico podem causar complicações mais seus níveis muito baixos também podem trazer problemas.

Algumas das doenças mais comuns que se relacionam com o ácido úrico são:

  • Gota
  • Artrite Úrica
  • Insuficiência renal agura ou crônica
  • Cálculo renal;
  • Acidoses metabólicas

Ele é um ácido fraco e sua forma ionizada é o urato monossódico, essa forma é encontrada no plasma do sangue humano, no líquido extracelular e nas cavidades das articulações presentes no líquido sinovial.

Sua síntese ocorre por meio da degradação das proteínas que são ingeridas na forma de alimentos, as proteínas sofrem processo de degradação em hipoxantina e esta é sintetizada em xantina. A xantina sofre ação irreversível da xantina oxidase (enzima) e se transforma em ácido úrico que se transforma em urato de sódio (síntese realizada no fígado).

Para que o diagnóstico seja preciso e seja possível medir as dosagens do ácido úrico no sangue e na urina de 24 horas, é muito importante que se faça jejum mínimo de 4 horas antes da coleta do material. Deve-se também suspender alguns medicamentos e outras coisas que podem interferir nos resultados dos exames.

Alguns medicamentos podem inibir ou acelerar a síntese das purinas bem como o uso de outras substâncias como álcool, vitamina C, cafeína, diuréticos, teofilina (antiasmáticos) e fenotiazinas (antidepressivos).

O ácido úrico também é excretado do organismo pelos rins, bile e sucos intestinais. A taxa do ácido úrico no plasma humano depende do equilíbrio entre a absorção e produção de um lado e a destruição e excreção do outro.

Como é muito solúvel, o urato é facilmente eliminado pelos rins em quantidades de 600-700 mg por dia. Em um individuo normal a excreção é feita em proporção de 1/3 pelo intestino e 2/3 pelos rins.

Quando as taxas de ácido úrico estão em alta no organismo dizemos que o indivíduo apresenta quadro de hiperuricemia e quando as taxas estão baixas dizemos que o quadro é de hipouricemia.

O tratamento para a redução das taxas de ácido úrico do organismo é basicamente a base de dietas, sendo feito evitando alimentos ricos em purinas (proteínas) como:

- Carnes
- Miudos (fígado, coração, língua)
- Peixes pequenos
- Frutos do mar
- Alguns tipos de grãos (feijão, grão de bico, ervilha, lentilha)

Obs: Caldos e ensopados devem ser evitados imediatamente pois quando as carnes são cozidas, o ácido úrico se difunde na água por possuir uma estrutura muito hidrosolúvel e é levado com mais rapidez para as células.

Fontes:
http://pt.wikipedia.org/wiki/Ácido_Úrico
http://www.abcdasaude.com.br/artigo.php?7