População do Maranhão

Graduado em Geografia (UFG, 2017)

O Estado do Maranhão, localizado na região Nordeste do Brasil, tem extensão territorial de 331.935,507 km², ocupando 3,9% do território nacional. Dividido em 217 municípios, sua população, segundo estimativa do IBGE de 2018, é de 7.035.055 habitantes, sendo o quarto estado mais populoso do Nordeste e o décimo em todo o país.

Dados populacionais

Sua densidade demográfica é de 19,8 habitantes por km². Anualmente, estima-se que a taxa de crescimento demográfico do Estado é de 1,99%, maior que a do Brasil, 1,81%. Em 2018, segundo o IBGE, a população do estado em relação à 2017 aumentou 35 mil habitantes.

Entretanto, apesar do crescimento populacional, o aumento da população não deve ser tão significativa nos próximos anos devido à diminuição na taxa de fecundidade – em 2018 era de 2,2 filhos-, a diminuição da taxa de mortalidade infantil que passou de 60,3% em 1998 para 23,5% em 2014, e o índice negativo no saldo migratório, que segundo a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD), o número de maranhenses que vivem em outros estados é 3,5 vezes maior do que o número de imigrantes de outros estados que vivem no Maranhão. Segundo o IBGE, a população absoluta maranhense deve começar a diminuir em 2047.

A migração no Maranhão

Entre os migrantes que foram para o Maranhão, cerca de 400 mil maranhenses vivem em maioria no Estado do Pará-. Em relação aos habitantes oriundos de outros estados brasileiros, grande parte vieram do Piauí.

Assim como vem ocorrendo em outros estados nordestinos, o Maranhão passa pelo processo de migração de retorno, em que 16,43% dos migrantes maranhenses voltaram para a sua terra natal. Grande parte das pessoas que retornaram, segundo o IBGE, estavam em cidades da região sudeste.

Muitos são os fatores que atraem esses migrantes de volta para o seu estado, entre eles pode citar os investimentos na agropecuária e indústria que tem sido intensificados na Região Nordeste, a falta de oportunidades nas grandes metrópoles e as péssimas condições de vida que os migrantes nordestinos encontravam nessas cidades.

Os índices sociais da população

Em 2018, o IBGE apontou que o Maranhão é o estado com a segunda maior taxa de analfabetismo do país (16,7%) estando apenas atrás de Alagoas (18,2%), ou seja, mais de 850 mil maranhenses não sabem ler e sequer escrever um simples bilhete. Em relação do IDH (Índice de Desenvolvimento Humano), o estado em 2018, segundo o IBGE, apresentou um índice de 0,639 (médio) apenas à frente de Alagoas (0,631). Outro dado negativo é a expectativa de vida, que em 2018, era de 70,6, bem abaixo da média brasileira 76 anos.

As heranças culturais para a população

Em relação a população do Maranhão, nota-se que houve um intenso processo de miscigenação decorrente da diversa composição étnica que existe no Estado. Os indígenas foram os primeiros habitantes da região, e em seguida, com a colonização, o estado foi ocupado e disputado por holandeses e portugueses. Além dos colonos europeus e dos indígenas, o Maranhão recebeu uma grande quantidade de escravos africanos, que justifica a grande diversidade étnica-cultural presente em território maranhense.

Essa intensa miscigenação ocorrida no estado maranhense originou uma diversa herança sociocultural que está presente no cotidiano da população que vive no estado. Hábitos alimentares como o consumo de farinha de mandioca, o uso do tucupi e do urucum na alimentação são legados deixados pela cultura indígena.

Nota-se também a influência indígena para designar nome de municípios do estado (Apicum-Açu, Itapecuru-Mirim, Icatu) e nome de rios (Munin, Pindaré, Mearim, Itaueiras), etc.

De origem africana, existem algumas crenças religiosas que compõem a herança cultural do estado, como a festa do Bumba meu Boi que é comemorada anualmente na capital São Luís e é considerada pelo IPHAN (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional) patrimônio cultural do Brasil, e o Tambor de Mina que representa os escravos capturados e levados para o forte São Jorge da Mina.

Leia também:

Referências:

https://www.sabedoriapolitica.com.br/products/cultura-popular-maranhense/

https://oimparcial.com.br/saude/2018/11/maranhao-tem-a-menor-expectativa-de-vida-do-brasil-aponta-ibge/

https://cidades.ibge.gov.br/brasil/ma/pesquisa/37/30255?tipo=ranking

Arquivado em: Demografia, Maranhão