Objeto indireto pleonástico

Mestra em Letras e Linguística (UFG, 2016)
Licenciada em Letras-Português (UFG, 2009)

O Objeto Indireto Pleonástico ocorre quando o objeto de Verbos Transitivos Indiretos ou Bitransitivos (Transitivos Diretos e Indiretos) é retomado na mesma oração por um Pronome Oblíquo.

Leia a oração a seguir e sua análise sintática para observar o Objeto Indireto Pleonástico:

Aos meus filhos, não lhes deram dinheiro.

  • Aos meus filhos: Objeto Indireto do Verbo “dar”
  • lhes: Objeto Indireto Pleonástico, retoma “Aos meus filhos
  • deram: Verbo Bitransitivo
  • dinheiro: Objeto Direto do Verbo “dar”

Nesta oração, é possível observar que o Pronome Oblíquo “lhe” retoma o Objeto Indireto “Aos meus filhos”. É importante ressaltar que a transitividade verbal está relacionada aos termos adicionais que complementam seu sentido. A estes termos, os quais exercem funções sintáticas essenciais, dar-se-á o nome de Integrantes.

Assim, os Termos Integrantes têm a função de complementar os sentidos de determinados Verbos e Nomes, a saber: Complementos Verbais (Objeto Direto e Objeto Indireto), Complemento Nominal e Agente da Passiva.

Analisando a nomenclatura Objeto Indireto Pleonástico

O Objeto Indireto integra-se aos sentidos dos Verbos Transitivos Indiretos através de uma Preposição. Veja:

  • Mário gosta da Flávia.

O Verbo “gostar” precisa de uma complementação de sentido: quem gosta, gosta de alguma coisa. Este complemento é ligado ao Verbo por meio da Preposição “de”.

Os Pronomes Oblíquos são um dos tipos de Pronomes Pessoais. Morfologicamente falando, os Pronomes são uma classe de palavras que determinam ou substituem o Substantivo.

Existem oito tipos de Pronomes: Pessoais, Possessivos, Demonstrativos, Interrogativo, Relativos, Indefinidos, Adjetivos e Substantivos. Os Pronomes Oblíquos Átonos e Tônicos e os Pronomes Pessoais do Caso Reto são os dois tipos de Pronomes Pessoais.

Veja a tabela dos Pronomes Pessoais do Caso Reto, Oblíquos Tônicos e Oblíquos Átonos:

Pessoa do discurso e
Pronomes Pessoais do Caso Reto
Pronomes Oblíquos
Tônicos
Pronomes Oblíquos
Átonos
1ª pessoa do singular - eu mim, comigo me
2ª pessoa do singular - tu ti, contigo te
3ª pessoa do singular - ele se, o , a, lhe o, a, lhe
1ª pessoa do plural - nós nos nos
2ª pessoa do plural - vós vos vos
3ª pessoa do plural - eles se, os, as, lhes os, as, lhes

O termo “Pleonástico” deriva de Pleonasmo, que significa a repetição de uma informação já mencionada em um mesmo enunciado, como em “subir para cima”, “entrar para dentro”, “viver a vida” etc. Assim, o Pleonasmo pode ser considerado tanto um equívoco de construção linguística, quanto pode ser utilizado como Figura de Linguagem, categorizada enquanto Figura de Construção ou Figura de Sintaxe, contribuindo com a construção de sentidos de textos multissemióticos, literários, poéticos. Observe:

Vi, claramente visto, o lume vivo
Que a marítima gente tem por Santo,
Em tempo de tormenta e vento esquivo,
De tempestade escura e triste pranto.
(CAMÕES, Luis Vaz de. Obras Completas. Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 1998. p. 118 [Fragmento].)

A utilização pleonástica do Verbo no particípio “visto” enfatiza os efeitos de sentidos do Verbo “ver”.

O Objeto Indireto Pleonástico é, portanto, um Complemento do Verbo retomado na mesma oração através de um Pronome Oblíquo.

Referência:

ABURRE, Maria Luiza M. Gramática: texto: análise e construção de sentido. Volume único. 2. ed. São Paulo: Moderna, 2010. p. 106, 395, 396.

Arquivado em: Português