Saneamento básico e doenças

Graduação em Biologia (CUFSA, 2010)
Especialização/MBA em Análises Clínicas (Uninove, 2012)

O saneamento básico envolve os processos de tratamento e abastecimento de água, tratamento de esgoto, limpezas públicas e coleta de resíduos orgânicos e matérias.

Essas medidas podem parecer simples, mas o saneamento básico reduz em grande quantidade o número de doenças infecciosas e em locais aonde o saneamento é precário, ou inexistente, as taxas de doenças são altas, demostrando a importância para a saúde pública.

A falta de saneamento básico é um dos problemas mais graves nas grandes periferias do Brasil. Foto: koosen / Shutterstock.com

Em muitas regiões, a água é obtida de reservatórios não contaminados, ainda assim, ela requer um tratamento para o consumo. Em regiões onde o abastecimento é de fontes poluídas, como rios, o tratamento passa por varias etapas para que a água seja adequada. Em todos os casos, a água não é estéril, mas é livre de microrganismos patógenos e adequada para o uso.

Os processos de tratamento da água incluem a floculação, para remoção de matérias coloidais, um método de separação de misturas, onde coloides saem de suspensão na forma de agregados, formando partículas maiores. Em seguida a água é filtrada e posteriormente passa pelo processo de desinfecção, onde é clorada.

A água potável então, é proveniente de estações de tratamento onde foram realizados vários procedimentos físicos e químicos para que possa ser adequada para o consumo diário.

O esgoto é considerado toda água para uso doméstico, como para uso em banheiros, lavanderias e cozinhas.

O processo de tratamento do esgoto é mais complexo, realizado nas Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) e envolve diversas etapas e, resumidamente, inclui a retirada de matérias flutuantes na entrada da estação e depois ocorre a passagem em tanques de sedimentação, onde a matéria orgânica sólida restante é sedimentada.

Ocorre a digestão de lodo, onde há uma fase líquida e outra sólida. O lodo é removido para uma base contínua e o líquido que sai, passa para a continuidade no tratamento. O lodo sedimentado retorna ao tanque de aeração ou é retirado para tratamento específico.

O tratamento seguinte é basicamente biológico, realizado para remover a matéria orgânica. O esgoto tratado é desinfetado, geralmente por cloração antes de ser liberado para o uso.

O tratamento da água é realizado a partir da água doce para a retirada de resíduos orgânicos, sais dissolvidos, metais pesados, partículas em suspensão e microrganismos. Já o tratamento de esgoto é feito a partir de esgotos residenciais ou industriais, para após o tratamento, a água poder ser reintroduzida no rio minimizando seu impacto ao ambiente.

Como mencionado, o saneamento básico é de extrema importante para a saúde pública e evitar diversas doenças, principalmente gastrointestinais.

Vários tipos de microrganismos como bactérias, vírus e protozoários podem ser encontrados em águas.

Algumas das doenças mais frequentes associadas a contaminação de água ou alimentos contaminados, incluem a giardíase, salmonelose, cólera, gastroenterite por E. coli e outras gastroenterites, hepatite A, verminoses como a teníase e a ascaridíase, esquistossomose, amebíase, leptospirose e outras.

Como o impacto negativo dessas doenças é grande, vale a pena conhecer um pouco delas e as principais medidas de prevenção, que obviamente incluem as condições de saneamento básico, mas também envolvem cuidados que podem ser tomados pelos cidadãos.

Giardíase

A giardíase é uma infecção intestinal, que causa diarreias, ocasionada por água e alimentos contaminados, causada pela Giárdia lamblia, um protozoário capaz de se fixar na parede intestinal. Os sintomas são caracterizados por mal-estar, náuseas, flatulência, diarreia, dor abdominal, fraqueza e perda de peso.

As formas de prevenção da giardíase incluem: lavar as mãos, principalmente antes de comer, preparar comida e utilizar o banheiro, beber água tratada e ferver ou filtrar a água, lavar os alimentos e frutas antes de ingeri-los, evitar a ingestão de alimentos crus e a higiene pessoal.

Salmonelose

Salmonelose é uma infecção causada por alguns tipos de bactérias do gênero Salmonella. A principal forma de transmissão se dá pela ingestão de produtos à base de carne, alimentos crus ou malcozidos. Os sintomas incluem febre moderada, acompanhada de náuseas e vômitos, dor abdominal, cólicas e diarreia.

A salmonelose é um tipo de gastroenterite, que são infecções que causam a inflamação na mucosa gástrica e intestinal e a grande maioria é causada por bactérias como a própria Salmonela e a Escherichia Coli entre outras, e o principal sintoma dessas doenças são diarreias, cólicas e vômitos.

As principais medidas preventivas incluem lavar bem as mãos, principalmente após ir ao banheiro e cuidado no preparo de alimentos e evitar a ingestão de alimentos crus ou malcozidos.

Cólera

Uma infecção bacteriana, causada pelo Vibrio cholerae, fortemente associada com o consumo de água contaminada por fezes. O principal sintoma da doença é diarreia volumosa acompanhada de vômitos. Atualmente, a cólera não é endêmica no Brasil, sendo a Ásia a região de maior incidência. Existem vacinas contra a cólera, mas de curta duração, por isso as recomendações de lavar as mãos, evitar a ingestão de alimentos crus e os cuidados com higiene pessoal são essenciais.

Hepatite A

A hepatite A é uma doença viral e a contaminação ocorre por água ou alimentos contaminados por fezes. É comum em crianças e surtos em creches são registrados. A maioria dos casos é assintomático e quando são sintomáticas incluem, mal-estar, náuseas, desconforto abdominal, diarreia e febre. A vacina de hepatite A foi introduzida no calendário infantil. As medidas de prevenção são lavar as mãos após ir ao banheiro ou trocar fraldas e para preparar alimentos, que devem ser bem cozidos. Como os surtos costumam ocorrer em creches, as medidas de higiene devem ser rigorosas para evitar a contaminação.

Teníase

A teníase, popularmente conhecida como solitária, é uma infecção intestinal causada por um verme denominado Tênia, classificada em Taenia solium (do porco) e Taenia saginata (do boi). A contaminação ocorre pela ingestão de carne de gado, porco ou peixe malcozidos, contendo os cisticercos. Os sintomas incluem dor abdominal, náuseas, diarreia, perda de peso ou prisão de ventre, entre outros. A principal forma de prevenção é evitar o consumo de carnes malcozidas.

Ascaridíase

Doença comum, causada pelo verme Ascaris lumbricoides, popularmente conhecido como lombriga. A contaminação se dá pela ingestão de alimentos contaminados. Os sintomas incluem cólicas abdominais e a presença de um grande número de vermes pode resultar em uma obstrução e causar enjoo, vômito, distensão e dor abdominal. As medidas indicadas são lavar as mãos com água e sabão antes de manusear alimentos e descascar ou cozinhar todos os legumes, verduras e frutas.

Esquistossomose

É uma doença causada pelo Schistosoma mansoni, popularmente como barriga d’água ou doença dos caramujos. Causa febre, dor de cabeça, calafrios, suores, fraqueza, falta de apetite, dor muscular, tosse e diarreia. A prevenção é baseada em evitar o contato com águas, onde existam os caramujos hospedeiros intermediários infectados.

Amebíase

Infecção causada pela Entamoeba histolytica. A contaminação é por alimentos e água contaminada. Os sintomas são diarreia, cólicas, febre e emagrecimento.

Leptospirose

Doença infecciosa causada por uma bactéria chamada Leptospira, transmitida pela urina de roedores, principalmente por ocasião das enchentes. Os sintomas incluem febre, dor de cabeça, dores pelo corpo, principalmente nas panturrilhas. A prevenção é basicamente pelo saneamento básico.

Pode-se notar que entre as medidas preventivas da grande maioria das doenças, lavar as mãos corretamente e evitar a ingestão de alimentos crus ou malcozidos são prioridades.

O investimento em saneamento básico é importante e necessário para a saúde da população em geral.

Fontes:

http://datasus.saude.gov.br/noticias/atualizacoes/675-planos-de-saneamento-podem-ajudar-a-evitar-mais-de-100-doencas

http://www.tratabrasil.org.br/blog/2018/02/27/doencas-falta-de-saneamento-basico/

https://www.eosconsultores.com.br/5-consequencias-da-falta-de-saneamento-basico/

http://site.sabesp.com.br/site/interna/Default.aspx?secaoId=49

http://www.usp.br/qambiental/tratamentoAgua.html#tratamento

https://www.infectologia.org.br/pg/996/amebiase

TORTORA, G.J., FUNKE, B.R., CASE, C.L. Microbiologia. -8. ed.-Porto Alegre: Artmed, 2005.

AVISO LEGAL: As informações disponibilizadas nesta página devem apenas ser utilizadas para fins informacionais, não podendo, jamais, serem utilizadas em substituição a um diagnóstico médico por um profissional habilitado. Os autores deste site se eximem de qualquer responsabilidade legal advinda da má utilização das informações aqui publicadas.

Arquivado em: Saúde