Geografia da América do Norte

Especialista em Geografia do Brasil (Faculdades Integradas de Jacarepaguá, RJ)
Mestre em Educação (Estácio de Sá, 2016)
Graduado em Geografia (Simonsen, 2010)

Ao falarmos da América do Norte, imediatamente devemos lembrar que estamos falando da parte mais rica, ou seja, com maior grau de desenvolvimento de todo o continente americano. Entendendo por continente americano, ou por América, um único continente que foi artificialmente dividido em três outros: América do Norte, América Central e América do Sul. Alguns estudiosos vão considerar cada América como um continente distinto, aqui porém optaremos pela corrente de estudiosos que entende as três Américas como subcontinentes ou regiões de um único continente.

O gentílico (palavra usada para falar qual é a origem geográfica daquela pessoa) para aqueles que nascem em qualquer parte da América é americano, enquanto que para aqueles que nascem na América do Norte (em qualquer um dos seus países) é norte-americano. É importante frisar isto pois, equivocadamente do ponto de vista geográfico, se tornou popular denominar de americano ou norte-americano apenas aquelas pessoas que nasceram nos Estados Unidos da América, erro este que acabou se impondo na língua portuguesa como parte da norma culta [1][2]. Entretanto, o gentílico mais adequado para os que nascem nos Estados Unidos da América seria estado-unidense [3].

Este equívoco linguístico se deve principalmente a grande influência cultural, política e econômica que os Estados Unidos da América exercem no mundo e também o fato de eles próprios, na língua inglesa, referirem ao seu país muitas vezes apenas como América e ao seu povo apenas como americano. Bem como, no caso do termo norte-americano, o fato dos Estados Unidos serem o maior país daquele continente e o mais populoso, bem como muitas pessoas (equivocadamente) acharem que o México por fazer fronteira com a América Central e ser latino (hispânico), faria parte da América Central e não da América do Norte.

A América do Norte é a América com menor número de países, apenas três países no total, o que não significa que ela seja a menor em tamanho (a menor é a América Central), na realidade é bem o oposto pois, ela é a maior das três Américas. Os países que a compõem são os Estados Unidos da América, o Canadá e o México. Sendo que dos três, apenas o México não é um país desenvolvido, sendo um país ainda em desenvolvimento. Toda a América do Norte está situada sobre uma mesma placa tectônica, a placa norte-americana, sendo que parte da costa Oeste dos Estados Unidos da América está na fronteira entre a placa norte-americana e a placa do pacífico, sendo por isso muito recorrente os tremores de Terra na região.

Além dos países citados, existem alguns territórios pertencentes a países europeus na América do Norte e que muitas pessoas nem ao menos sabem que tais territórios fazem parte da América do Norte. Um deles é a Ilha Bermuda (ou Ilhas Bermudas) que pertencem ao Reino Unido, bem como a Groenlândia que pertence ao Reino da Dinamarca.

No total, três foram os países que colonizaram a porção norte do continente americano: A Inglaterra (a principal colonizadora dos Estados Unidos da América, Canadá e Bermuda), a Espanha (México e parte dos Estados Unidos da América) e a França (partes dos Estados Unidos da América e do Canadá).

A América do Norte possui um bloco econômico próprio, do qual todos os três países fazem parte: O NAFTA (North American Free Trade Agreement ou Tratado Norte-Americano de Livre Comércio). Houve uma tentativa de criar um bloco econômico para toda a América, a ALCA: Área de Livre Comércio das Américas. Porém, a tentativas não foi para a frente em boa parte pela ascensão na América Latina de governos com ideias alinhadas ao pensamento político de esquerda, contrários ao livre comércio. Entretanto, já houve países de fora da América do Norte que tentaram, sem sucesso, ingressar no NAFTA: Chile e Argentina [4].

Mapa político da América do Norte. Fonte: CIA World Factbook [domínio público]

Aspectos físicos

A maior parte da América do Norte está na zona temperada, portanto o clima temperado, nas suas diversas variações, predomina neste subcontinente. Porém, dada a grande extensão e diversidade de outros climas que afetam os climas (altitude, maritimidade, etc.), podemos encontrar alguns outros climas: O polar na parte mais ao norte do Canadá, Alasca e na Groenlândia, o clima subpolar, o clima desértico e semi-árido (especialmente na fronteira entre os Estados Unidos da América e o México), o clima subtropical e até o clima tropical mais ao sul do México.

A América do Norte possui três grandes cordilheiras de montanhas, uma delas ao leste, os Montes Apalaches e outras duas cordilheiras ao Oeste, as Montanhas Rochosas e a Cadeia de Montanhas do Pacífico. As duas cordilheiras situadas no extremo Oeste norte-americano são a continuidade no Norte da Cordilheira dos Andes na América do Sul ou, melhor dizendo, são formações que equivalem a aquelas que são encontradas nos Andes.

Montes Apalaches. Foto: Paulbalegend / via Wikimedia Commons / CC-BY-SA 3.0

O território´norte-americano conta ainda com algumas planícies costeiras, como nas proximidades do Golfo do México e da Baía de Hudson, bem como alguns planaltos entre estas planícies e aquelas cordilheiras citadas anteriormente.

Por sua posição central no subcontinente, os Estados Unidos da América acabam sendo o ponto de encontro entre o Canadá e o México, tanto climaticamente (todos os climas presentes na América do Norte aparecem em alguma parte do território estado-unidense) e fisicamente (todas formações de relevos que existem neste sub-continente, aparecem também nos Estados Unidos da América), quanto também politicamente, economicamente e culturalmente.

Leia também:

Atividades econômicas

Ao falarmos da América do Norte, logo pensamos na presença de atividades econômicas ligadas a alta tecnologia no Vale do Silício (E.U.A.), bem como a forte indústria cinematográfica em Hollywood (também nos E.U.A.), a indústria automobilística com empresas como Ford e Chevrolet (General Motors), porém pouco lembramos da agropecuária destes países.

Mesmo a grande potência econômica mundial, como é os Estados Unidos da América, possui uma rica e invejável presença na pecuária e também na agricultura. Os chamados cinturões (Belts) são áreas especializadas em determinados tipos de cultivos. Entre os mais famosos: Corn Belts (milho), Cotton Belts (algodão), dentre outros. Um grande destaque vai para o milho, tão presente na alimentação destes países, como também está presente em diversos usos industriais, por exemplo na fabricação de Etanol (álcool combustível), bem como a produção de laranja que está entre as maiores do mundo.

No México, existem as típicas plantações de agave, uma planta da qual se faz o xarope de agave (que serve como calda e adoçante), também se faz a Tequila e o Mezcal, bebidas alcoólicas que ganharam popularidade pelo mundo. Sendo o Mezcal famoso por eventualmente conter um pequeno verme inofensivo na bebida e que é consumido junto com ela, com supostos benefícios (sem comprovação científica) para a virilidade e sexualidade.

Leia também:

Conflitos armados

A América do Norte é um subcontinente relativamente pacífico, apesar de os Estados Unidos da América participarem de guerras fora de seus territórios e eventuais ameaças de terrorismo contra o território estado-unidense. Porém, existe um conflito armado ocorrendo dentro das fronteiras norte-americanas: o conflito entre os zapatistas e o governo mexicano.

O Exército Zapatista de Libertação Nacional (EZLN) é uma guerrilha inspirada no socialismo libertário, comandada por uma personalidade de ares míticos: subcomandante Marcos. Os zapatistas dominam boa parte das terras indígenas do sul mexicano, especialmente aquelas localizadas nos Estados de Chiapas e de Oaxaca, sendo basicamente uma guerrilha formada por indígenas e seus descendentes (mestiços). O seu nome tem origem no nome do revolucionário mexicano e herói nacional, Emiliano Zapata, que foi um mestiço de índio com espanhol que comandou a revolução mexicana. Tem sido um grupo guerrilheiro com uma aura bastante romântica e que tem atraído simpatizantes pelo mundo, especialmente após suas ações contra o NAFTA.

“American Way of Life” x “Canadian Way of life”

Os Estados Unidos da América e o Canadá são dois países desenvolvidos, ambos ex-colônias britânicas com parte do território tendo sido ex-colônia francesa, ambos são vizinhos e o contato entre ambos é imensurável, entretanto o estilo de vida e governo de ambos são completamente diferentes entre si.

Os canadenses optaram pelo Estado de Bem-Estar Social (Welfare State), nos moldes europeus, especialmente nos moldes escandinavos, enquanto que os Estados Unidos da América optaram por um modelo fortemente liberal, entregando quase todos os bens e serviços públicos ao mercado. Mais do que políticas públicas, estes dois modelos demonstram um estilo de vida diferenciado nos dois países. Enquanto Barack Obama era taxado por alguns opositores nos E.U.A. de socialista por querer ampliar a assistência pública de saúde, tornando próximo ao Sistema Único de Saúde (S.U.S.) brasileiro, os canadenses contam com uma quantidade muito superior de serviços públicos do que aqueles que existem nos Estados Unidos e até no Brasil. Evidentemente, mais serviços públicos exige uma carga tributária superior.

Podemos dizer também que, enquanto há uma maior preocupação com a liberdade individual (livre-iniciativa) nos E.U.A., o Canadá tem uma preocupação maior com a redução das desigualdades sociais, sem no entanto ser um país comunista ou algo do tipo.

Referências:

[1] https://www.priberam.pt/dlpo/americano

[2] https://www.priberam.pt/dlpo/norte-americano

[3] https://www.priberam.pt/dlpo/estado-unidense

[4] http://www1.folha.uol.com.br/folha/dinheiro/2001-alca-nafta.shtml

Arquivado em: América, Geografia