Classificação climática de Köppen-Geiger

Graduanda em Geografia (IFSP)
Graduada em Biologia (UNICSUL, 2018)

Publicado em 18/11/2021
Ouça este artigo:

A Classificação climática tem como intuito agrupar os diferentes segmentos do planeta associando-os de acordo com os índices climáticos semelhantes, como por exemplo: os índices pluviométricos e a radiação solar. Esses índices podem ser explorados para a classificação climática de forma individual ou então serem reunidos e combinados estabelecendo assim as zonas climáticas.

Além da classificação das zonas climáticas é de suma importância classificar também os subtipos do clima, entretanto para isso é necessário técnicas analíticas e descritivas para realizar o mapeamento dessas áreas facilitando assim a troca de informações e as análises posteriores alcançando diferentes objetivos.

Os elementos e os fatores utilizados e agrupados para a realização das análises irão depender consequentemente da finalidade o qual será destinado, com isso se forma diversos sistemas de classificações. Na atualidade, a mais conhecida e mais utilizada na Geografia é a classificação do biólogo russo Wladimir Koppen. Sua classificação foi publicada em 1901, sendo atualizada anos mais tarde pelo climatologista e meteorologista alemão Rudolf Geiger entre os anos de 1918 a 1936, ficando conhecido então como sistema de Classificação climática Koppen-Geiger.

A classificação Climática de Köppen-Geiger é fundamentada inicialmente na vegetação que ocorre naturalmente em cada região do planeta, posteriormente outros elementos como as características sazonais, a precipitação pluvial e a temperatura foram agregadas a esse sistema formando assim os 5 (cinco) grupos básicos de clima identificados pelas letras maiúsculas A, B, C, D e E. Os grupos representados pelas letras A, C, D, e E representam climas úmidos e o grupo representado pela letra B trata-se de regiões desérticas. A classificação dos tipos e subtipos de clima são descritos da seguinte maneira:

  • A - Clima tropical chuvoso – Megatérmico com temperatura média de 18º C no mês mais frio e com média de precipitação pluvial anual superior a 700 mm, precipitação maior que a evapotranspiração;
  • B – Clima Árido – Clima seco com precipitação inferior a 500mm, evapotranspiração anual superior a precipitação e ausência de corpos d’agua permanentes;
  • C - Clima temperado – Mesotérmico com temperatura de -3ºC a 18ºC no inverno, verão com temperatura superior a 10ºC e estações do ano bem definidas;
  • D - Clima Continental – Microtérmico com temperatura inferior a -3ºC no inverso, verão com temperatura superior a 10ºC e estações do ano bem definidas;
  • E - Clima Glacial – Climas de regiões polares e altas montanhas com temperatura inferior a 10ºC nos meses mais quentes e com verão pouco definido ou inexistente.

Para além da primeira letra onde se classifica o clima em grupos de maneira geral, dentro dos grupos pode-se ter os tipos de clima e os subgrupos determinados pela segunda e terceira letra que vão determinar a precipitação e a temperatura desses climas. Composto por letras minúsculas ou maiúsculas:

De acordo com a Precipitação:

  • f – Aplica-se aos Grupos A, C e D: Clima Equatorial, úmido o ano inteiro;
  • m – Aplica-se ao Grupo A: Clima de monção, precipitação anual a média de 1500mm;
  • s – Aplica-se aos Grupos A, C e D: Verão seco
  • S – Aplica-se ao Grupo B: Climas de Estepes com precipitação anual com a média entre 380 e 760 mm;
  • w – Aplica-se aos Grupos A, C e D: Inverno seco
  • W - Aplica-se ao Grupo B: Clima desértico com precipitação média inferior a 250 mm.

De acordo com o clima:

  • a – Aplica-se aos Grupos C e D: Verão quente
  • b – Aplica-se aos Grupos C e D: Verão fresco
  • c – Aplica-se aos Grupos C e D: Verão frio
  • d - Aplica-se ao Grupo D: Inverno muito frio
  • F – Aplica-se ao Grupo E: Glacial com temperatura do mês mais quente inferior a 0ºC;
  • h – Aplica-se ao Grupo B: Seco e quente
  • k – Aplica-se ao Grupo B: Frio e quente
  • M - Aplica-se ao Grupo E: Precipitação abundante e invernos pouco rigorosos;
  • T – Aplica-se ao Grupo E: Tundra com temperatura média do mês mais quente entre 0ºC e 10ºC.

Sendo possível as seguintes variações de acordo com os climas descritos:

Grupo Subgrupo Tipo
A - Tropical f – Equatorial -
m – Monção -
w – Savana (chuva verão) -
S – Savana (chuva inverno) -
B - Seco W – Árido h – Quente
k - Frio
S - Semiárido h – Quente
k - Frio
C - Temperado f – Sem estação seca a – Verão Quente
b – Verão Fresco
c – Verão Frio
w – inverno seco a – Verão Quente
b – Verão Fresco
c – Verão Frio
s – Verão seco a – Verão Quente
b – Verão Fresco
c – Verão Frio
D - Continental f – Sem estação seca a – Verão Quente
b – Verão Fresco
c – Verão Frio
d – Inverno muito frio
w – Inverno seco a – Verão Quente
b – Verão Fresco
c – Verão Frio
d – Inverno muito frio
s – Verão seco a – Verão Quente
b – Verão Fresco
c – Verão Frio
d – Inverno muito frio
E - Polar F - Glacial -
M – Alpino -
T - Tundra

O mapa abaixo apresenta os diferentes climas brasileiros de acordo com a classificação climática de Köppen-Geiger.

Climas do Brasil conforme classificação climática de Köppen-Geiger. IBGE, 1990.

Leia também:

Bibliografia:

ALMEIDA, H. A de. Climatologia aplicada à geografia. Universidade Estadual da Paraíba, 2016.

NÓBREGA, Ranyére Silva. Um pensamento crítico sobre classificações climáticas: de Köppen até Strahler. Revista Brasileira de Geografia Física, v. 3, n. 1, p. 18-22, 2010.

ROLIM, Glauco de Souza et al. Classificação climática de Köppen e de Thornthwaite e sua aplicabilidade na determinação de zonas agroclimáticas para o estado de São Paulo. Bragantia, v. 66, p. 711-720, 2007.

Arquivado em: Clima