Domínios morfoclimáticos do Brasil

Especialista em Geografia do Brasil (Faculdades Integradas de Jacarepaguá, RJ)
Mestre em Educação (Estácio de Sá, 2016)
Graduado em Geografia (Simonsen, 2010)

O Brasil pode ser dividido em sete domínios morfoclimáticos: amazônico, cerrado, mares de morros, caatinga, araucárias, pradarias, pantanal. Como o nome já diz, são determinadas áreas nas quais dominam determinado tipo de clima, de uma forma (morfo) do relevo e, consequentemente, de uma vegetação.

Os domínios morfoclimáticos brasileiros.

O domínio morfoclimático amazônico predomina na região norte, sendo caracterizado pelo clima equatorial (com suas características de clima intensamente quente e úmido, chuvoso), pela vegetação de florestas equatoriais (Floresta Amazônica), um relevo de planícies e depressões. Também pode ser chamado de domínio equatorial amazônico.

O domínio morfoclimático do cerrado predomina na região centro-oeste, possui relevo de planaltos (formando várias "chapadas", como a Chapada dos Guimarães), vegetação também chamada de cerrado ou savana e clima tropical continental.

O domínio morfoclimático de mares de morros é o que predomina na costa brasileira, especialmente nas áreas litorâneas das regiões Nordeste e Sudeste. Seu clima é o tropical marítimo e é nesse domínio que é possível encontrar em abundância a Mata Atlântica. O domínio recebe este nome por conta do seu relevo característico de morros que, quando agrupados, pelo seu formato mais baixo que uma montanha e formato arredondado (descrito como o formato da metade de uma laranja com a parte cortada encostada no solo do nível do mar e a parte curvada visível) acabam por formar uma figura semelhante à de um mar com ondas). Apesar de seu nome ser mares DE morros, por ser um domínio de áreas litorâneas, acaba muitas vezes sendo chamado de forma pouco convencional de domínio de mares E morros, porém a primeira forma é a mais adequada e consensual. Historicamente, o domínio de mares e morros foi o primeiro a receber a colonização europeia, portanto, sendo o domínio que abrange a maioria das grandes cidades brasileiras, sendo também onde está concentrada boa parte da riqueza industrial e financeira do país.

O domínio morfoclimático da caatinga predomina no sertão nordestino, especialmente na região conhecida como polígono das secas, sendo dominado pela vegetação de mesmo nome e pelo clima semiárido. É o domínio morfoclimático mais seco de nosso país. O relevo de destaque nesta região é o de depressão, com a maior parte dos rios sendo temporários, a vegetação é rala com diversos tipos de cactos e bromélias.

O domínio morfoclimático das araucárias predomina no sul do país, sendo também domínio de clima mais frio no Brasil, considerando que o seu clima é subtropical. Predomina nele a Mata de Araucárias, uma espécie de pinheiro brasileiro. O relevo é predominantemente de planaltos e possui um tipo de solo muito rico em nutrientes chamado de terra roxa.

O domínio morfoclimático das pradarias é dominado pela vegetação de pradaria, campos ou pampas (sendo uma vegetação rasteira muito utilizada na pastagem de animais), está muito presente no extremo sul do Brasil, especialmente nos pampas gaúchos, seu clima também é o subtropical.

O domínio morfoclimático do pantanal está presente em parte da região centro-oeste, tendo como característica principal os campos alagadiços e a vegetação adaptada a estes constantes alagamentos, seu relevo dominante é o das planícies. É um dos mais ameaçados pela expansão do agronegócio brasileiro.

Leia também:

Referências:

https://cejarj.cecierj.edu.br/pdf_mod4/CH/Ceja_Unidade04_Modulo4_CH_Geo.pdf

https://www.embrapa.br/pantanal/impactos-ambientais-e-socioeconomicos-no-pantanal

Arquivado em: Biomas, Brasil, Geografia