Tangerina

Especialista em Gestão Ambiental (AVM-RJ, 2012)
Graduada em Biologia (UFRural-RJ, 2009)

A tangerina (Citrus reticulata) é uma fruta cítrica da família Rutaceae onde encontramos todos as espécies de frutas cítricas conhecidas, como limão e laranja.

Tangerinas. Foto: Dream79 / Shutterstock.com

Tem sua origem na Ásia nos países com clima subtropical e tropical úmido como Índia e China, com registros de seu cultivo nos pomares da Babilônia, da Palestina e outros países do Oriente Médio. Foi levada para a Europa na época das Cruzadas. Chegou ao Brasil trazida pelos portugueses, no século XVI onde se adaptou muito bem.

A tangerineira é uma árvore de porte médio, que sem poda pode chegar até a 4 metros, com folhas médias de coloração verde-escura e com flores brancas aromáticas. Diferente das laranjeiras, elas resistem mais a temperaturas mais frias.

Flor da tangerina. Foto: janaph / Shutterstock.com

Apesar da sua adaptação a diversos tipos de solo, seu cultivo é melhor aproveitado em solos com covas profundas, com alto controle hídrico e de nutrientes. Além disso, seus frutos não amadurecem após a colheita, logo seus produtores tem que observar o melhor momento para a colheita para que não haja desperdícios na produção. E suas árvores são mais suscetíveis a pragas e doenças, que pode ser facilmente resolvido sem uso de herbicidas e agrotóxicos.

A fruta que tem sua colheita de abril a julho, também é chamada de mexerica, mandarina ou bergamota em diferentes locais do Brasil. Apresenta algumas variedades como a ponkan, cravo, cleópatra e satsuma. Além dessas variedades, ainda temos espécies híbridas (associações da tangerina com outra fruta cítrica como laranja, por exemplo) como murcote, temple, tangerona, kara e kinga.

Fruta de alta apreciação devido ao seu aroma característico, pela facilidade como suas cascas se soltam dos gomos, pela doçura ou pouca acidez, apresentando poucas ou nenhuma semente e baixa caloria. Seus óleos essenciais são altamente utilizados em licores e aromatizantes.

Assim como a maioria das frutas cítricas, encontramos grande quantidade de vitaminas A, B e C, além de minerais como cálcio, potássio, fósforo, sódio e ferro. Seu consumo in natura está associado ao melhor funcionamento dos intestinos, além de grande aliado no tratamento de arteriosclerose, gota, reumatismo e cálculos renais. O chá das folhas tem propriedades calmantes e da casca auxiliam no processo de digestão. Associado a outros elementos como gengibre e alfazema é ótimo para o tratamento de gripes e resfriados.

A China é a maior produtora da fruta, seguida da Espanha e Brasil. Já no Brasil, a região Sudeste, com maior concentração em São Paulo, possui a maior produção, seguida da região Sul. De toda produção paulista em 2013, 56% correspondia a tangerina ponkan.

Cada 100g de tangerina possui os seguintes valores nutricionais: 37 calorias, 1,9g de fibra, 185mg de potássio, 36 mg de cálcio, 11mg de Magnésio, 21 mcg de Ácido Fólico, 106mcg de Provitamina A e 35 mg de Vitamina C.

Referências:

Fronza, D.; Hamann, J.J.; Frutíferas de clima tropical e subtropical. Santa Maria: Universidade Federal de Santa Maria, Colégio Politécnico: Rede e-Tec Brasil, 2015

EMBRAPA. Fruteiras Tropicais do Brasil. Fortaleza. 2009

IAC. CITROS: principais informações e recomendações de cultivo. São Paulo. 2005.

Arquivado em: Frutas