Orações subordinadas substantivas

Mestra em Letras e Linguística (UFG, 2016)
Licenciada em Letras-Português (UFG, 2009)

As Orações Subordinadas Substantivas são aquelas que exercem funções próprias dos substantivos: sujeito, objeto direto, objeto indireto, complemento nominal, predicativo e aposto em relação à oração principal. Veja o exemplo:

  • Parece que pode piorar.

Parece: Oração Principal
que pode piorar: Oração Subordinada Substantiva Subjetiva

Observe que o verbo da oração principal “parece” não apresenta um sujeito e liga-se a outra oração por meio de uma Conjunção. São chamadas de Conjunções Subordinativas Integrantes aquelas que introduzem as Orações Subordinadas Substantivas. Estas conjunções atuam sintaticamente como conectivos.

Ao estudar sobre os períodos compostos por subordinação é necessário analisar a estrutura sintática das orações partindo sempre da localização dos verbos e/ou das locuções verbais.

Após a verificação da quantidade de orações é preciso identificar os seus termos essenciais, como o sujeito e o predicado, os termos integrantes, como os complementos verbal e nominal e o agente da passiva, e também os termos acessórios, como os adjuntos adnominal e adverbial e o aposto.

Feita a identificação dos termos, é preciso determinar quais as funções eles exercem na estrutura analisada.

Classificação das Orações Subordinadas Substantivas

Existem seis tipos de Orações Subordinadas Substantivas: Subjetivas, Objetivas Diretas, Objetivas Indiretas, Completivas Nominais, Predicativas e Apositivas. Vejamos cada uma delas a seguir:

Orações Subordinadas Substantivas Subjetivas

São aquelas que exercem a função de sujeito da oração principal.

Quando há a presença de verbos unipessoais na oração (suceder, constar, convir, parecer, acontecer, importar, urgir).

Sucede que ninguém que assumir a culpa.

Quando há um verbo de ligação sucedido por predicativo do sujeito.

É preciso que veja isto.

Quando o aparece um verbo transitivo direto na voz passiva sintética, na terceira pessoa do singular, com o pronome “se” funcionando como 'partícula apassivadora'.

Falou-se que teríamos aumento.

Quando o verbo transitivo direto está na voz passiva analítica (verbo “ser” + particípio).

Foi dito que as mulheres são sábias.

Orações Subordinadas Substantivas Objetivas Diretas

São aquelas que exercem função de objeto direto da oração principal.

Rodrigo não sabe se poderá votar nas eleições.

Orações Subordinadas Substantivas Objetivas Indiretas

São aquelas que exercem função de objeto indireto da oração principal.

Anísio vai se convencer de que tudo passa.

Orações Subordinadas Substantivas Completivas Nominais

São aquelas que exercem função de complementos nominais de um termo da oração principal.

Não podemos ter certeza de que estão seguros.

Orações Subordinadas Substantivas Predicativas

São aquelas que exercem função de predicativo do sujeito da oração principal.

Meu medo é que uma hora briguem.

Orações Subordinadas Substantivas Apositivas

São aquelas que exercem função de aposto de um termo da oração principal.

Ele só disse uma coisa: que respeito é bom e ele gosta.

Orações Subordinadas Substantivas Reduzidas

Na língua Portuguesa, é possível observarmos a ocorrência de Orações Subordinadas Substantivas Reduzidas somente na forma de infinitivo.

Exemplos:

É bom que se pense após uma discussão. (Oração subordinada substantiva desenvolvida)

É bom pensar após uma discussão. (Oração subordinada substantiva reduzida de infinitivo)

Leia também:

Referência:

ABURRE, Maria Luiza M. Gramática: texto: análise e construção de sentido. Volume único. 2. ed. São Paulo: Moderna, 2010. p. 334 a 447.

Arquivado em: Português