Floresta nublada

Mestre em Ecologia e Manejo de Recursos Naturais (UFAC, 2015)
Graduada em Ciências Biológicas (UFAC, 2011)

As florestas nubladas, também chamadas de florestas nebulosas, são encontradas em regiões tropicais e subtropicais. Localizam-se no alto das montanhas, geralmente entre 500 e 3500 metros de altitude, com maior ocorrência entre 1200 e 2500 m. São encontradas na América Latina e no Caribe, principalmente na Venezuela, México, Equador e Colômbia. Também ocorrem no sudeste da Ásia, na região do Pacífico (Indonésia e Malásia) e na África.

Floresta Nublada. Foto: Brian Lasenby / Shutterstock.com

Floresta Nublada. Foto: Brian Lasenby / Shutterstock.com

No Brasil, essas florestas são denominadas florestas altomontanas e encontram-se no Sul, ocupando as altas montanhas da Serra do Mar e da Serra Geral; na região sudeste, localizadas na Serra da Mantiqueira e na Serra de Itatiaia, e no Nordeste, em serras isoladas e disjuntas da porção sul da Chapada Diamantina.

Nessas florestas o nevoeiro constante reduz a luminosidade. As temperaturas são relativamente baixas. As chuvas são periódicas, mas a floresta permanece sempre úmida, pois a vegetação captura as pequenas gotículas de água do nevoeiro. A evapotranspiração é mínima, contribuindo para que a umidade seja ainda mais elevada. As menores temperaturas diminuem as taxas de decomposição, causando maior acúmulo de matéria orgânica nos solos, que são pouco férteis. Essas florestas estão mais expostas à ação dos ventos.

Todos esses fatores influenciam na estrutura da vegetação, caracterizada por poucas espécies e árvores baixas geralmente com troncos e galhos retorcidos. As folhas geralmente são pequenas, espessas e pesadas. As epífitas são muito abundantes. Os troncos das árvores quase sempre são cobertos por musgos, liquens, bromélias, orquídeas e samambaias.

As florestas nubladas desempenham um papel muito importante na hidrologia das regiões. Pois como a evapotranspiração é pouca, a maior parte das chuvas escoa, sendo utilizada pelas populações das terras baixas e alimentando até mesmo rios distantes. Além disso, essa floresta captura água extra da neblina.

A fauna é muito rica, com muitas espécies endêmicas. A floresta nublada de Monteverde na Costa Rica abriga diversas espécies de aves, incluindo muitos beija-flores e o famoso quetzal resplandecente. O sapo-dourado era encontrado apenas nessa floresta, mas é considerado extinto há anos. Entre os mamíferos destacam-se o gorila (Gorila gorila) da África Central, o urso de óculos (Tremarctos ornatus) da América do Sul, e o tarsero pigmeo (Tarsius pumilus) da Ásia. Na Cordilheira dos Andes as florestas nubladas abrigam aves como o solitário andino e o galo-da-serra andino. No Brasil essas regiões abrigam muitas espécies raras, como os anfíbios Holoaden luederwaldti e Paratelmatobius lutzii e a ave Tijuca atra (saudade). Macacos, tatus e felinos são outros animais encontrados nesses ambientes.

Em muitas regiões as florestas nubladas foram convertidas em plantações e pastos, principalmente na Colômbia. Essas atividades antrópicas exercem profundos efeitos negativos sobre a biodiversidade desses ambientes. Além disso, as florestas nubladas são particularmente vulneráveis ao aquecimento global.

Referências
Christopherson, R. W. Geossistemas. Uma introdução à geografia física. 7. ed. Porto Alegre:Bookman, 2012.
https://pt.wikipedia.org/wiki/Floresta_nublada
http://wol.jw.org/pt/wol/d/r5/lp-t/102004726

Arquivado em: Biomas