Geografia do Pará

Licenciada em Geografia (UFG, 2003)

O Pará, segundo maior estado do Brasil está situado na Região Norte do país. Seu território possui 1.247.950 km2 sua capital é Belém e quem nasce no estado é chamado paraense. A história do Pará e da formação territorial, está diretamente relacionada à exploração de seus recursos naturais.

Localização

O território paraense é cortado pela linha do Equador, portanto possui terras no hemisfério norte e sul. Em função de sua grande extensão territorial, o estado faz fronteira com os estados do Amazonas, Amapá, Mato Grosso, Maranhão, Tocantins e Roraima. Limita-se também com os países: Guianas, Suriname e Guiana Francesa a norte e a nordeste com o Oceano Atlântico.

Mapa escolar do Estado do Pará. Clique para ampliar. Fonte: IBGE

Ilha de Marajó

Em território paraense encontra-se a Ilha de Marajó que é maior ilha fluviomarinha do mundo, é rodeada pelos rios Amazonas e Tocantins e ao norte pelo Oceano Atlântico. É uma importante atração turística do estado, famosa pela cerâmica marajoara e riqueza culinária e cultural.

Um dos aspectos mais conhecidos da Ilha é o grande rebanho de búfalos – atividade econômica do setor pecuarista muito importante para o estado do Pará – o estado conta com mais de 2 milhões de cabeças, a maior parte encontra-se na ilha.

População

O Pará conta com 8.513.497 de habitantes, com diversas origens: descendentes de europeus, africanos, migrantes vindos do nordeste e uma expressiva população de origem indígena. A densidade demográfica média do estado é de 6,07 hab/km2, no entanto a distribuição é desigual nos 144 municípios do estado. Entre eles está Altamira, que ganha destaque por ser o maior município do Brasil, com 159.533 km², seu território é maior que países como a Grécia, Portugal ou Inglaterra.

Economia

Na economia, o extrativismo possui significativa importância. Os produtos fornecidos pela floresta concentram-se especialmente na pesca, madeira, açaí e castanha-do-brasil. A mineração é significativa na economia paraense. São extraídos dos escudos cristalinos paraenses o ferro, manganês, bauxita, ouro, cobre, estanho especialmente na região da Serra dos Carajás, onde há toda uma infraestrutura da indústria mineradora.

No turismo paraense o destaque fica para a cidade de Belém, nos seus aspectos históricos e naturais. É famoso o mercado Ver-o-Peso onde é encontrada toda uma variedade de produtos amazônicos. Também são muito visitadas as praias do Rio Tapajós, a festa do Círio de Nazaré e a Ilha do Marajó.

Na agricultura, há destaque para a produção de pimenta do reino, coco e banana. A pecuária do estado conta com aproximadamente 15 milhões de cabeças de gado bovino e bufalino.

Relevo

O relevo do Pará é composto por baixas altitudes, 60% do estado tem no máximo 200 metros de altitude. Esse relevo baixo e plano é resultado da planície amazônica, rebaixada pelas águas dos rios. No entanto, uma parte do estado, tem áreas mais elevadas dos Planaltos das Guianas e Brasileiro. Em destaque nessas formações estão a Serra do Carajás, a Serra do Cachimbo e a Serra do Acari.

Clima

O clima característico do Pará é o clima equatorial úmido, que possui altas temperaturas e altos índices pluviométricas. No sul do estado encontra-se, em uma menor área o clima tropical, que tem duas estações definidas: uma seca e chuvosa e outra também quente e seca.

Vegetação

No estado do Pará, em decorrência do clima equatorial úmido, temos a predominância da Floresta Equatorial Amazônica. No litoral há a presença de Mangues – característico das regiões de águas salinas ou salobras. Também é possível encontrar a vegetação Campos na Ilha de Marajó e Cerrado na região sul do estado, onde ocorre o clima tropical.

Leia mais: vegetação do Pará

Hidrografia

A hidrografia do Pará é marcada pelos rios da Bacia Amazônica. O próprio Rio Amazonas passa pelo estado e deságua no Oceano Atlântico na Ilha do Marajó. Os principais afluentes do Amazonas em território paraense são: o Tapajós, Xingu, Curuá, Trombetas e Nhamundá.

Importante também para o estado é o Rio Tocantins, onde está a Usina de Tucuruí que fornece energia para o Projeto Grande Carajás. Os rios paraenses são importantes para a navegação, escoamento da produção e transporte de pessoas e produção de energia.

Fontes:

Pará – IBGE – Panorama https://cidades.ibge.gov.br/brasil/pa/panorama

Constituição do Estado do Pará – Portal do Senado - https://www2.senado.leg.br/bdsf/handle/id/243099

AFORMAÇÃO TERRITORIALDO ESPAÇO PARAENSE: dos fortes à criação de municípios - Maria Goretti da Costa TAVARES Universidade Federal do Pará - https://revista.ufrr.br/actageo/article/download/204/364

Relatório da Secretaria de Turismo – Ver o Pará - http://setur.pa.gov.br/sites/default/files/pdf/plano_ver-o-para.pdf

Arquivado em: Pará